22 junho, 2006

O Planeta Marte


Na última sessão estivemos a ver várias imagens relativas a vários astros entre os quais Marte. Decidi por isso fazer este pequeno trabalho relativo a este planeta.

Marte é o planeta mais parecido com a Terra. Um dia em Marte é apenas 40 minutos mais longo do que um dia na Terra. Tal como a Terra, Marte possui estações como o Verão e o Inverno. E há milhares de milhões de anos Marte era quase tão quente quanto a Terra. Segundo os cientistas, neste planeta corriam rios pelo solo e é até possível que um oceano possa ter coberto metade do planeta, podendo inclusivé ter existido vida primitiva. Estas hipóteses devem-se ao facto da superfície de Marte estar coberta de vales profundos semelhantes aos dos rios terrestres e, de em 1996 terem sido descobertos fósseis de bactérias muito semelhantes áquelas que também foram encontradas no nosso planeta. O ar em Marte não tem oxigénio somente dióxido de carbono o que dificulta a vida para nós humanos. Quem se atrever a ir a Marte deve levar um fato muito especial, entre outras coisas como é lógico! Num dia de Verão, as temperaturas marcianas só atingem os zero graus, ponto de congelação da água, mas à noite chegam aos 80 graus negativos, tão frio quanto a Antártica no Inverno. Por sua vez no Inverno marciano as temperaturas não são nada agradávéis para nós pois podem atingir os 125 graus negativos. Isto é tanto frio que o ar dos polos norte e sul de Marte congelam em calotes de gelo de dióxido de carbono.

Em volta de Marte encontramos dois pequenos satélites: Deimos e Fobos cujas superfícies se encontram cravejadas de crateras , como podemos observar nestas imagens.
Este planeta apresenta numerosos vulcões, sendo o maior deles o Monte Olimpo, que é mesmo o maior de todo o sistema solar.

Nesta altura em que muita coisa acontece no nosso sistema solar, a Nasa está a preparar os seus astronautas para irem até Marte no ano 2020. Pensa-se que irão ficar por lá três anos (entre o ir, estar e regressar). Dada a proximidade ao Sol , a ausência de oxigénio na sua atmosfera e as grandes amplitudes térmicas que aí se fazem sentir, os cientistas da Nasa tentam criar micro-robôts que serão introduzidos na corrente sanguínea dos astronautas para detectar doenças, combatê-las e garantir que eles possam regressar de «fina» saúde, tal como foram.

O que mais nos espera em termos de avanços tecnológicos???????????

Sem comentários: