06 julho, 2006

Colisão de tempestades em Júpiter

Um acontecimento astronómico inesperado pode acontecer em Júpiter. Como sabem o maior planeta do Sistema Solar (só Júpiter tem mais do dobro da massa dos outros planetas todos juntos incluindo luas e asteróides!) é um mundo de tempestades, "ventos" que circulam a velocidades da ordem dos 500 km/h em direcções opostas e que criam nas regiões adjacentes grandes turbilhões dos quais o mais famoso é a Grande Mancha Vermelha. Grande porque tem pelo menos o dobro do diâmetro da Terra (em Júpiter tudo é grande!) e vermelha porque é essa a sua coloração. Esta mancha é a tempestade mais antiga de todo o Sistema Solar, uma vez que faz este ano 342 anos que pela primeira vez foi observada por Robert Hooke. Recentemente uma segunda mancha foi detectada nas proximidades da GMV, à qual chamaram GMV Júnior. O facto só por si já mostra como esta atmosfera é dinâmica (todo o planeta é uma atmosfera uma vez que não tem superfície sólida). Porém o facto novo é que estas duas grandes tempestades jupiterianas estão a convergir uma para a outra! E agora o que irá acontecer? Nobody knows.

Fiquem com a imagem e vejam (acompanhem) a história em:
http://science.nasa.gov/headlines/y2006/05jun_redperil.htm

Sem comentários: