10 junho, 2008

Torga e Camões III


Macau, 10 de Junho de 1987

Na Gruta de Camões


Tinhas de ser assim:

O primeiro

Encoberto

Da nação.

Tudo ser bruma em ti

E claridade.

O berço,

A vida,

O rastro

E a própria sepultura.

Presente

E ausente

Em cada conjuntura

Do teu destino.

Poeta universal

De Portugal

E homem clandestino.


Miguel Torga in Diário XV, 1990

Sem comentários: