29 novembro, 2008

Semana da Ciência e Tecnologia

Como está quase a terminar a Semana da Ciência e Tecnologia 2008, não podíamos deixar de recordar o mais famoso poema de Gedeão, imortalizado no saudoso programa Zip-Zip por Manuel Freire, aqui num filme muito interessante retirado do YouTube.



Pedra filosofal

Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer,
como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso
em serenos sobressaltos,
como estes pinheiros altos
que em verde e oiro se agitam,
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul.

Eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma, é fermento,
bichinho álacre e sedento,
de focinho pontiagudo,
que fossa através de tudo
num perpétuo movimento.
Eles não sabem que o sonho
É tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel,
arco em ogiva, vitral
pináculo de catedral
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa-dos-ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é Cabo de Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança,
Columbina e Arlequim,
passarola voadora,
pára-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão do átomo, radar,
ultra-som, televisão,
desembarque em foguetão
na superfície lunar.

Eles não sabem nem sonham,
que o sonho comanda a vida.
Que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança.

in Movimento Perpétuo, 1956

2 anos do Blog AstroPT

No passado dia 13 de Novembro o Blog AstroPT fez anos (2 aninhos...) e publicou o seguinte post:

A comunidade astroPT fez 2 anos.
Este é o 3º presente de aniversário para os nossos assíduos leitores!

Com 1 ano e 6 meses de actividade no blog, já ultrapassamos os 1350 posts. Não contando com as visitas às páginas de colaboradores, sobre astroPT, e efemérides, será interessante saber quais os posts mais lidos.
De sempre (dos 1350 posts), cá fica por ordem de preferência o Top 40:

1 - Este post sobre Sexo no Espaço, com sequência neste e neste posts.
E também sobre pornografia espacial, e sobre casamento espacial.

2 - A Aventura da sonda Phoenix em Marte (com várias fotos!), e a chegada em tempo real. A não perder também estes vídeos e entrevista.
E, claro, o final da Phoenix.
Ainda sobre Marte, podem ver os 5 anos de sucesso dos Rovers, e aqui mais algumas imagens, uma comparação entre Marte e Terra, um estranho objecto em Marte e a sua explicação, o gelo em Marte (e aqui), evidências para água já do ano passado, a notícia mais recente de água, uma sombra em Marte, resultados das Viking, ideia de enviar uma pessoa para Marte com viagem só de ida, 3ª lua em Marte, e vídeos engraçados aqui e aqui.

3 - A Relatividade permite-nos viajar para as estrelas em pouco tempo (até podemos chegar à Galáxia de Andrómeda em somente 60 anos!). Um cartoon do Calvin sobre isso. E filmes em tons relativísticos.

4 - Este post sobre Roswell num contexto histórico, assim como versões mais alargadas aqui sobre a Origem Moderna dos OVNIs.
Ainda sobre OVNIologia temos o programa Encontros Imediatos - série sobre OVNIs em Portugal - que passou no canal 2 da RTP teve os seus 13 episódios revistos aqui: , , , , 5º, 6º, 7º, 8º, 9º, 10º, 11º, 12º, 13º.
Vídeo bastante engraçado do Gato Fedorento que contactou extraterrestres.

5 - Simpsons com vários episódios científicos.

6 - Marte tão grande no céu como a Lua. Também aqui, e aqui um artigo mais extenso sobre o assunto.

7 - Olho do Mal visto nas estrelas.
Astronomia e Arte interceptam-se aqui com van Gogh.

8 - Sobre eclipses, tivemos o eclipse lunar, assim como uma história engraçada sobre ele; e o eclipse solar (webcasts, fotos, explicação, emoção, e diversão); finalmente, os próximos eclipses em Portugal.

9 - Um bom artigo sobre a Formação do Sistema Solar.

10 - A minha entrevista na TSF foi bastante ouvida aqui, assim como foi lida a minha actividade em Braga, pela Orion.
Também foram bastante lidos os relatos de Conferências de Astrobiologia, no Reino Unido, e Califórnia.
E o IAC 2008 em Glasgow, aqui e aqui.

11 - Artigo sobre profecias, medos, e cenários de desgraça, em 2012.
A Profecia Maia e o Fim do Mundo em 2012, neste artigo, e neste.

12 - Titã com líquido à superfície aqui e aqui, e até subterrâneamente. E ainda mais possíveis características em Titã, aqui.
Sobre outras luas, aqui, aqui, Europa, e Prometheus.
Ainda sobre o Sistema Solar, posts também razoavelmente vistos têm sido estes posts sobre Plutão, Vénus, e sobre as sondas Voyager e Pioneer.
Projecto Lúcifer: Saturno tornar-se um Sol.

13 - Sobre Planetas Extrasolares, os posts mais lidos foram: primeiro exoplaneta visto com luz visível (aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, e aqui um artigo mais completo), entrevista do Nuno Santos, o João Gregório no Público, os Hot Jupiters, um resumo recente de descobertas, um quinteto planetário também aqui, mais um quinteto, um quarteto, um trio Neptuniano, um planeta gelado-quente, o planeta mais quente, potenciais pleidianos, TW Hydrae, primeira imagem de um extrasolar, Gliese 176, sobre o Gliese 581c aqui, aqui, aqui, aqui e aqui, mais carradas de exoplanetas, e a missão COROT aqui, aqui e aqui.
Já se passou o número de 300 planetas extrasolares descobertos.

14 - Há vários Mitos Espaciais. Exemplo: a Grande Muralha da China ser vista do espaço (pirâmides aqui).

15 - 2009 será o Ano Internacional da Astronomia, (também aqui) com as palavras do Pedro Russo (também aqui e aqui) e o trailer sobre o acontecimento.
2008 é o Ano Internacional do Planeta Terra, como podem ler aqui e aqui.

16 - Ameaça de asteróides é sempre um tema apetecido, como se pode ler aqui e aqui, estando o asteróide Apophis à cabeça.
E extinções em massa, novos cálculos, e ciclos de biodiversidade.

17 - Energia negra… explicada?
Ainda na Cosmologia, escrevemos sobre Expansão Não-Uniforme e outros mistérios do Universo.
Falamos de GRBs, os fantásticos Raios Gama, também aqui.
E de evolução de galáxias.
E ainda do João Magueijo, aqui e aqui.

18 - Há quem pense que o Homem não foi à Lua (com vídeo engraçado) mas o certo é que foi mesmo, como podem ler aqui, e mais completo aqui.
E ainda mais completo este artigo a desmistificar os argumentos dos defensores da conspiração.

19 - Vários vídeos fantásticos que demonstram a nossa pequenez e insignificância no Universo.
E uma mensagem bastante importante.

20 - Um excelente e enorme relato (e cheio de fotos) sobre a observação feita na Serra da Freita, pelo malogrado Paulo Santos.
Ainda na Astronomia Amadora, os posts mais lidos foram: uma visão crítica dos encontros de astronomia em Portugal aqui e aqui, AstroVide 2008, visão crítica da Astrofesta aqui, aqui e aqui, e os encontros da Atalaia aqui, aqui, aqui e aqui. E algumas reflexões sobre a mentalidade portuguesa.
Bólides diurno em Portugal, e ao fim da tarde no Canadá, e o Cometa Holmes com um aumento surpreendente.
A Face no Universo, Torre de Belém com Lua e Vénus, ISS e Sol, Arte e Universo.

21 - O jogo Spore, aqui, aqui, e um artigo aqui.

22 - A Ficção Científica também esteve em alta!
Star Trek teve este post sobre o quanto influencia o nosso dia-a-dia, este sobre um exemplo específico sobre o que virá, e este sobre os seus fãs.
Star Wars teve este post, este com algumas curiosidades, o documentário sobre o quanto influenciou o mundo, este post sobre os seus fãs, e um vídeo bastante engraçado de gozo aos fãs.
Buck Rogers no Século XXV também teve bastantes visitas.
E também a série Battlestar Galactica.
O Hitchhiker’s Guide to the Galaxy tem o seu Dia da Toalha.
E este pequeno teste para determinar o tipo de escritor de FC.

23 - Os documentários mais visitados, por ordem de preferência, foram: a fabulosa série Cosmos, o excelente show Alien Planet, o fenomenal Na Sombra da Lua, Origens, Star Trek, Star Wars, Fim da Humanidade, Vida depois dos Humanos, Vendo no Escuro.

24 - Inúmeras actividades em Estremoz (aqui com o Calendário Cósmico do Sagan), Coimbra aqui, aqui (brinca com as constelações), e aqui, no OAL aqui e aqui, NUCLIO aqui e aqui, Paços de Ferreira aqui e aqui, Vila Nova de Paiva aqui e aqui, Noite dos Investigadores, e por fim, vários aqui.

25 - O mistério de Cassiopeia A, com seguimento aqui.
Eta Carinae com explosão próxima?
Objecto estranho no espaço?

26 - Gabinete Português para o Espaço.
O Irão no espaço, aqui, aqui e aqui.
Ainda na AstroPolítica, Sarah Palin, e outros candidatos e presidentes.
Obama é o novo Presidente dos EUA.

27 - Na pseudo-ciência, o maior parvalhão no Universo, o LHC a produzir buracos negros, a Terra parar a sua rotação, e pseudo-filosofia.

28 - Engraçado lançamento do vaivém… ao Lado.
Apollo 12 e mulheres no espaço.
Vaivém Atlantis (com fotos) e o lançamento do vaivém Discovery.
Mais lançamentos, aqui.
Ainda sobre astronáutica, o plano espacial Chinês, com sondas, Kaguya aqui, aqui e aqui, intenções, e taikonautas aqui, aqui, e aqui. E a Shenzhou-7 com tripulação, lançamento, passeio espacial, e aterragem.

29 - Euro 2008 e crenças astrológicas.
E Jogos Olímpicos, aqui, aqui e aqui.

30 - Aeroporto de Houston espacial, e prendas astronómicas.

31 - Terra no afélio, Solstício de Verão, Solstício de Inverno, Equinócio de Primavera, e Equinócio de Outono.

32 - O Aquecimento Global esteve forte com estes posts: livro do Marlo Lewis, livro do João Yun, outro livro, decisão do tribunal, Live Earth.

33 - O evento de Tunguska… explicado?

34 - João Gregório descobriu 2 Estrelas Variáveis, aqui e aqui.

35 - No século XXI, a astrobiologia, aqui e aqui.
E extremófilos, aqui, aqui, e aqui.

36 - Na NASA houve vários escândalos: desde uma astronauta ciumenta que atacou uma Capitã da Força Aérea, passando por um engenheiro que raptou e matou na NASA outro engenheiro, acabando com astronautas a irem bêbados para o espaço; não faltou emoção e telenovelas espaciais!

37 - O quanto do que temos em casa e na nossa cidade foi feito e influenciado pelo facto de estarmos a explorar o espaço exterior.
E aqui, não só relacionado com isto, mas também com arriscar.

38 - Críticas a filmes foram várias, com as mais lidas a serem aos filmes: Invasion, Alien Vs Predator + Horton Hears a Who, Viagem ao Centro da Terra + Wall-E + Fly Me to the Moon, Ficheiros Secretos, Hulk, e Sunshine.
E a série The Big Bang Theory.

39 - Leituras aconselhadas: de Natal, de férias, Mitos no Céu, sobre Ciência, sobre Sagan aqui e aqui, sobre Cristianismo, sobre a 4ª Dimensão, sobre Cientistas e Tempo, sobre o Tempo, sobre a Teoria das Cordas, sobre o Brian May, sobre os Simpsons, sobre viagens interestelares, sobre Hawking, e sobre Einstein aqui, aqui, aqui, e aqui.
Sagan e Deus, livro e crítica literária. E Einstein sobre o mesmo tema.

40 - Recordes Históricos: Dia, Semana, Mês (também aqui).
Participa no Encontro astroPT.


27 novembro, 2008

Semana da Ciência e da Tecnologia

Da nossa Tertúlia do ano passado, aqui fica um filme feito por mim com base na canção Lágrima de Preta (poesia de António Gedeão), na versão original cantada por Adriano Correia de Oliveira (música de José Niza).



NOTA: post originalmente publicado no Blog Geopedrados.

26 novembro, 2008

Fausto - 60 anos!

Faz hoje 60 anos o cantor Fausto!

Os nossos parabéns a este extraordinário cantor, autor, músico e poeta...



PS - sou, com muito orgulho, conterrâneo de Fausto (a sua mãe foi a professora do meu pai na então aldeia de Vila Franca das Naves...). As nossas raízes são algo de importante, que nós, neste Blog, não esquecemos...

25 novembro, 2008

Dia Nacional da Cultura Científica


Ontem o Google abria com a imagem anterior e remetia para o Dia Nacional da Cultura Científica!

Clicando na imagem fazia automaticamente uma pesquisa sobre esta data - ver AQUI.

Também o Público teve uma interessante iniciativa: fez um pequeno vídeo, filmado com telemóvel, de diversos cientistas lendo o Poema para Galileo de António Gedeão - ver AQUI.

Há dias assim, bonitos e plenos...

ADENDA: o filme do Público antes referido já está no YouTube! Aqui está ele:


24 novembro, 2008

Semana da Ciência e da Tecnologia


Que ciência se faz em Portugal?
Quem são os nossos cientistas?
Como trabalham?
O que investigam?
Que resultados obtêm?

Todos os anos, em Novembro, durante a Semana da Ciência e da Tecnologia, instituições científicas, universidades, escolas, associações e museus abrem as portas para que estas e outras perguntas possam ser respondidas, dando a conhecer as actividades que desenvolvem, através de um contacto directo com o público.

Tal facto deve-se à passagem de mais um aniversário do nascimento do cientista, pedagogo, divulgador científico e poeta Rómulo de Carvalho, por vezes mais conhecido pelo seu pseudónimo de poeta - o imortal António Gedeão...

Este Blog junta-se ao evento participando nele através da seguinte actividade:


Tertúlia On-Line de Comemoração da Semana da Ciência e Tecnologia e do aniversário do nascimento de Rómulo de Carvalho, com publicação de poemas, músicas, filmes e textos sobre António Gedeão e Rómulo de Carvalho.

Blogues participantes
Estamos ainda à espera de novas adesões a esta Tertúlia...

Mais informações: Ciência Viva

Centro Ciência Viva Rómulo de Carvalho abre em Coimbra

Post roubado ao Blog De Rerum Natura:


Informação fornecida pela Reitoria da Universidade de Coimbra (na imagem, auto-retrato de António Gedeão, pseudónimo artístico de Rómulo de Carvalho):

O Centro Ciência Viva Rómulo de Carvalho é um novo Centro Ciência Viva que vai funcionar na Universidade de Coimbra (no rés-do-chão do edifício do Departamento de Física) com características de centro de recursos para o ensino e aprendizagem das ciências e difusão da cultura científica. Incorpora a actual Biblioteca Rómulo de Carvalho, do Departamento de Física daquela Universidade, com uma forte componente multimédia em todas as áreas da ciência, e o portal na Internet “Mocho” (http://www.mocho.pt) . O Centro Rómulo de Carvalho dará apoio, como moderno centro de recursos, à rede de centros Ciência Viva do país, às escolas de vários níveis e ao público em geral. Os objectivos do Centro são, como os dos outros centros, contribuir para o alargamento da cultura científica e tecnológica nacional, incluindo em particular a atracção de mais jovens para a ciência e a tecnologia.

O nome Rómulo de Carvalho justifica-se plenamente: Rómulo de Carvalho (1906-1997) foi professor de Ciências Físico-Químicas (para muita gente mais conhecido por António Gedeão, o poeta de “Pedra Filosofal” e de outros grandes poemas de inspiração científica) e é um símbolo da cultura científica em Portugal. Além de professor de ciências e de poeta, juntando na mesma pessoa de forma única duas sensibilidades que parecem distintas, foi também um notável divulgador científico e um historiador da ciência, da pedagogia e, em geral, da cultura portuguesa. A sua ligação a Coimbra é bem conhecida pois foi nessa cidade que ensinou durante alguns anos, que iniciou a sua carreira literária nos anos 50 e que estudou as colecções de instrumentos históricos da Universidade.

A abertura pública do Centro Ciência Viva Rómulo de Carvalho terá lugar no dia 24 de Novembro, nas instalações do Centro, no Departamento de Física da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (na Rua Larga, em Coimbra) e acontecerá em plena Semana Nacional da Ciência e Tecnologia. Recorde-se que o dia 24 de Novembro, o aniversário de Rómulo de Carvalho, é o Dia Nacional da Cultura Científica. A sessão, que tem início às 17h30, terá a presença do Reitor da Universidade de Coimbra.

O Centro conta actualmente com cerca de 3000 livros e milhares de revistas na área da ciência, cultura e sociedade (em parte resultado de generosas doações), dez modernos computadores que permitem acesso a uma colecção de centenas de CDs e DVDs com software e filmes. Existe um sistema de empréstimo a distância, que permitirá o acesso aos livros e filmes de divulgação da ciência a sítios mais periféricos do nosso país. Além do acesso local no próprio Centro, serão progressivamente proporcionados, via Internet, a Portugal e não só, numerosos recursos digitais, que permitirão uma melhor compreensão da ciência pelo público. Um dos responsáveis pelo novo Centro, Carlos Fiolhais, declarou: “O nome de Rómulo de Carvalho é para nós muito inspirador e vamos procurar seguir o seu exemplo. Vamos mostrar que os jovens que descobrem a ciência estão com isso a descobrir o mundo.”

O novo Centro, além do apoio da Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica e do programa POCI 2010, já beneficiou de apoios da Fundação para a Ciência e Tecnologia, Fundação Calouste Gulbenkian, do Ministério da Educação, da Porto Editora e das Publicações Gradiva.

Contactos:

Centro Ciência Viva Rómulo de Carvalho
Dto. de Física da Universidade de Coimbra
Rua Larga, 3004-516 Coimbra, PORTUGAL

Telef: 351-239410694, Fax: 351-239829158

Email: rc@teor.fis.uc.pt
Internet: www.rc.mocho.pt

21 novembro, 2008

Suspensão da avaliação na Escola Correia Mateus

Do Blog Em defesa da Escola Pública publicamos, com imensa alegria, o seguinte post:

Na sequência de um abaixo-assinado inicial (por nós aqui publicado - VER AQUI) e subscrito por 95 docentes do Agrupamento, foi feita uma Reunião Geral de Professores, na qual foi aprovada a seguinte Moção (que foi assinada por 99 docentes):

MOÇÃO

Os docentes do Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus, em Leiria, reunidos em plenário no dia 4 de Novembro, decidiram unanimemente solicitar aos Órgãos competentes do Agrupamento a SUSPENSÃO IMEDIATA DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DOS DOCENTES. Esta moção tem como ponto de partida o abaixo-assinado, cujo texto segue em anexo, e que foi subscrito por 95 docentes desta escola.

Também se destacam os seguintes pontos:
1. Este processo de avaliação acarreta muitas injustiças e não permite o normal decorrer das actividades lectivas, sendo demasiado burocrático e contendo normas que vão contra o Código de Procedimento Administrativo, a Constituição e a LBSE.

2. As RECOMENDAÇÕES do Conselho Científico para a Avaliação de Professores deverão ser tidas em conta nas fichas de Escola, aquando da sua aplicação, sublinhando-se, entre outros, o facto de a Avaliação docente depender do sucesso dos alunos.

3. Antes de se dar início ao processo de avaliação deverão ser APROVADOS o Projecto Educativo e Plano Anual de Actividades que terão de ser devidamente divulgados.

4. Os órgãos competentes SÓ DEVEM INICIAR o processo de avaliação quando estes aspectos (pontos 1, 2 e 3), forem legalmente enquadrados e clarificados.

5. O processo de avaliação deverá iniciar-se, por uma questão de justiça, em SIMULTÂNEO para todos os docentes.

6. O Agrupamento deverá saber honrar com a sua presença a lista das Escolas cuja voz se realça nas lutas dos Docentes por uma avaliação honesta, exequível, justa, simplificada, desburocratizada e útil.


Estes dois documentos foram analisados pelo nosso Conselho Pedagógico, que decidiu por unanimidade unir a sua voz às dos restantes colegas e que tomou a seguinte posição:

Tomada de Posição do Conselho Pedagógico em reunião ordinária de 19/11/08


Foi entregue ao Conselho Pedagógico do Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus um pedido de análise do texto da Moção apresentada pelos docentes deste Agrupamento de Escolas, solicitando a suspensão do modelo de Avaliação de Desempenho Docente.

Os membros do Conselho Pedagógico analisaram o texto da Moção, considerando que as razões evocadas, entre as quais a interferência no normal funcionamento e qualidade do desempenho dos docentes, com consequências nefastas no processo de ensino-aprendizagem são justificadas e decidiram juntar a sua voz aos docentes que apresentaram e subscreveram a Moção, solicitando à Comissão Executiva que dê seguimento ao pedido de suspensão do actual modelo de Avaliação de Desempenho Docente.


Os Docentes do Conselho Pedagógico

Decidiram ainda acompanhar e justificar a sua decisão com o seguinte documento:

Justificação da contestação ao actual
Modelo de Avaliação do Desempenho Docente

Face à instabilidade instalada no seio do sistema educativo do nosso país, às questões apresentadas no abaixo-assinado e na Moção, destacam-se as seguintes conclusões:

1.ª Este sistema de avaliação contende com uma lógica de exigência e rigor, promovendo o facilitismo, comprometendo uma escola pública de qualidade. Como fundamento, sublinha-se o facto de para a avaliação dos docentes se contabilizar «a melhoria dos resultados escolares dos alunos» (ponto 2, alínea a), do artigo 9.º do referido DR n.º 2/2008), nomeadamente (Despacho n.º 16872/2008, de 23 de Junho, anexo IV, parâmetro 7),
a) o progresso dos resultados escolares dos seus alunos no ano /disciplina, relativamente aos resultados atingidos no ano lectivo anterior;
b) a evolução dos resultados escolares dos seus alunos relativamente à evolução média;
- dos resultados dos alunos daquele ano de escolaridade ou daquela disciplina naquele agrupamento de escolas ou escola não agrupada;
- dos mesmos alunos no conjunto das outras disciplinas da turma no caso de alunos do 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário;
c) as classificações nas provas de avaliação externa e respectiva diferença relativamente às classificações internas.
Assim, este parâmetro configura um conflito de interesses e uma situação de incompatibilidade não permitida pela lei. Efectivamente, o professor passa a ter um interesse directo nos resultados obtidos pelos seus alunos, já que eles o podem prejudicar ao longo da sua carreira. Pergunta-se se este interesse não pode ser suficiente para se considerar que, ao abrigo do artigo 44.º do Código do Procedimento Administrativo, o professor passe a estar, pelo conflito de interesses evidente, numa situação de impedimento, chocantemente criada pelo legislador.
Não se questiona que seja avaliado o processo utilizado pelo professor, por exemplo, poderá ser observado (e objecto de avaliação) como é que o professor ensina, o que é que o professor fez perante uma turma com determinados problemas de aprendizagem ou determinado insucesso. Mas deverá ser o processo a ser avaliado, e nunca o resultado que o aluno obtém, pois na construção desse resultado intervêm muitos factores, nomeadamente o próprio aluno (com determinadas capacidades cognitivas, interesse, capacidade de trabalho, situação pessoal, familiar e social, etc.). A pressão que tem sido feita nas escolas para que indiquem como objectivo, no Projecto Educativo, que os seus alunos melhorem uma determinada percentagem em relação a resultados anteriores ou obtenham determinados resultados quantificados (segundo o disposto na alínea b) do ponto 1 do artigo 8.º do referido DR 2/2008), sendo depois avaliadas se esse objectivo foi ou não atingido, é perfeitamente incompatível com o que é minimamente justo: ser-se avaliado por aquilo que se fez, e não pelo que os outros fizeram. O professor deve ser avaliado pela forma como ensinou e educou; os alunos, pelos resultados que obtiveram.

2.ª O facto de os professores serem avaliados tendo por referência «a redução do abandono escolar» (ponto 2, alínea b), do artigo 9.º do DR n.º 2/2008).
Tendo em conta o acima exposto, também se questiona que a redução do abandono escolar seja um parâmetro a avaliar no desempenho de um professor.
Poderão considerar-se as medidas desenvolvidas pelo professor, as suas intervenções, mas não a atitude que o aluno tomou, por vezes por desinteresse por currículos e programas (a que o professor é alheio), mas, sobretudo por uma opção que depende essencialmente do aluno, dos pais e, muitas vezes, dos contextos familiares e sociais.

3.ª A avaliação dos professores titulares ser feita pelos seus pares (artigo 12.º do DR n.º 2/2008).
Considerou-se que uma coisa é fazer-se uma reflexão conjunta sobre práticas de ensino, uma avaliação de tipo formativo de um trabalho conjunto em que os intervenientes participaram como pares e em que, em igualdade de circunstâncias, A aprecia o trabalho de B, e B aprecia o trabalho de A, no sentido de que essa reflexão conjunta traga melhoria ao desempenho de ambos; outra, muito diferente, e discutível – não se conhece investigação e literatura da especialidade que a sustente –, é a de uma pessoa que não é hierarquicamente superior a outra proceder à sua classificação.
Em nenhum sistema de avaliação em Portugal (em empresas, hospitais, universidades, ministérios, administração pública, por exemplo) ou noutros países, um chefe de serviços avalia e classifica outro, ou um professor catedrático avalia e classifica outro, ou um funcionário avalia e classifica outro que desempenhe as mesmas funções.
Aliás, toda esta concepção de professores a avaliar professores (que desempenham as mesmas funções) e a interferir na sua progressão na carreira – exposta nestas razões 3.ª, 4.ª e 5.ª –, na prática, parece-nos configurar um dos casos de impedimento legalmente consignado: o especificado no artigo 44.º, alíneas a) e b) do Código de Procedimento Administrativo (e ainda no 48.º do mesmo diploma), que determina que «nenhum titular de órgão ou agente da Administração Pública pode intervir em procedimento administrativo ou acto ou contrato de direito público ou privado da Administração Pública» «quando nele tenha interesse». E refira-se que a melhor doutrina considera não se ter de ir ao ponto de exigir um interesse directo, bastando, para o preenchimento do requisito, que haja um interesse instrumental ou moral.

4.ª A existência de quotas («percentagens máximas» de atribuição de Excelentes e de Muito Bons) diferentes de escola para escola.
A fixação de «percentagens máximas» estipuladas diferentemente, tendo «obrigatoriamente por referência os resultados obtidos na avaliação externa» concita dúvidas, mormente no que tange à sua compatibilidade com os princípios que fundamentam o sistema.
Como ponto prévio, deverá dizer-se que os termos e resultados dessa avaliação externa têm merecido o exercício do contraditório por parte de um grande número de escolas, ou seja, as escolas muitas vezes não se revêem na apreciação efectuada pela Inspecção-Geral de Ensino (não esqueçamos que essa avaliação decorre de uma observação de apenas dois dias em cada escola). Basta, aliás, pensar que, ao quadro referencial desta avaliação externa faltam descritores dos níveis de classificação, o que permite discricionariedade na classificação atribuída e, consequentemente, a instauração ab initio de uma situação de mal-estar latente entre a escola e a IGE, entre a Escola e a tutela, dado aquela se sentir duplamente injustiçada: na avaliação externa e nas consequências dessa avaliação.
Passando às consequências, uma escola classificada com Muito Bom terá «direito» a uma quota maior de Excelentes e de Muito Bons para os seus professores, diferentemente de uma escola com pior classificação. Tal acontece independentemente do esforço, do empenho, da qualidade de um ou de alguns dos professores que aí exerçam funções. Assim, a possibilidade da obtenção de uma classificação por parte do professor fica dependente da escola em que tenha sido colocado, e não do seu próprio mérito. E tal terá interferência na possibilidade de uma melhor remuneração, ou seja, professores de escolas diferentes têm oportunidades de remuneração diferentes, apesar de a tutela ser a mesma.
Assim, poderá considerar-se que esta disposição fere o disposto no artigo 59.º da Constituição da República Portuguesa, pois, ao estabelecerem-se quotas diferentes de escola para escola, a mesma «qualidade» pode estar a ter oportunidades diferentes de ser reconhecida oficialmente, criando-se, assim a discriminação que fere o artigo invocado.
Ou seja, a prévia condicionalidade determinada pela fixação de quotas diferenciadas para as várias escolas impede que o resultado salarial seja determinado, exclusivamente, pela qualidade do exercício responsável da profissão.

5.ª A distribuição de quotas por «universos de docentes».
Esta disposição tem consequências nocivas previsíveis de imediato: por um lado, constituirá mais um factor de criação de um clima de mal-estar nas escolas, de rivalidade, de conflitualidade; por outro, criará situações de injustiça e, cremos, de afronta à legalidade, nomeadamente no que respeita aos elementos que fazem parte da Comissão de Coordenação da Avaliação de Desempenho que não são coordenadores de departamento curricular.
Passando às consequências relativamente ao ambiente de trabalho nas escolas, é preciso referir que as escolas têm até agora desenvolvido um ambiente de cooperação entre todos os docentes, não só por força do conteúdo dos normativos cessantes como pela natureza do trabalho a desenvolver – por exemplo, o Projecto Educativo de Escola, o Plano Anual de Actividades, a coordenação e a articulação nos departamentos curriculares e nos grupos disciplinares, a avaliação dos Conselhos de Turma, o trabalho em equipa na constituição de turmas, na organização do serviço de exames, no Conselho Pedagógico, na elaboração de horários, etc. –, mas que, agora, essas relações de colegialidade e de trabalho de equipa ficam feridas por força da inevitável arbitrariedade decorrente do respeito pelas percentagens atribuíveis a cada «universo de docentes». É que os professores, independentemente do «universo» em que se inserem, trabalham todos em conjunto em muitas das actividades da escola. Ora, se um «universo de docentes», porque mais numeroso, tem direito a um maior número de Excelentes ou de Muito Bons, isto poderá fazer com que num outro «universo» de menor dimensão não seja atribuída a mesma menção a um docente com um trabalho tão bom ou mesmo superior ao do colega, o que vai criar uma relação de mal-estar entre os profissionais.

6.ª A complexidade e burocratização do processo, com reflexos negativos para a vida nas escolas, para os professores e, naturalmente, para o ensino.
Este processo de avaliação exige, numa escola média, mais de um milhar de horas de trabalho extra, mobiliza uma diversidade enorme de intervenientes, a concepção de um grande número de documentos e sua aplicação, o bulício da observação simultânea de aulas de todos os professores (até se prevê que os professores avaliadores possam faltar às próprias aulas para poderem observar e avaliar as dos colegas, no caso de haver incompatibilidade de horários…), traduzindo-se num trabalho acrescido para os professores, um enorme trabalho, sem um resultado prático visível de eficácia ou qualidade.

7.ª A heterogeneidade de procedimentos na avaliação de escola para a escola.
Ao prever-se, no diploma, que os "instrumentos de registo normalizados de toda a informação relevante para efeitos da avaliação do desempenho" sejam "elaborados e aprovados pelo Conselho Pedagógico de cada escola" (artigo 6.º, pontos 1 e 2 do DR n.º 2/2008), está a abrir-se a porta para a desigualdade de avaliação dos professores de escola para escola. Ou seja, está a abrir-se a porta para a injustiça.


Em suma, este modelo de avaliação é, essencialmente, sentido pelos professores como propiciador de injustiças, de desigualdades e da deterioração do ambiente de trabalho, não contribuindo para a desejada melhoria do sistema de ensino.

Face ao exposto, decidimos requerer a suspensão do actual processo de avaliação e exigir um modelo de avaliação justo, exequível e transparente, respeitando os normativos constitucionais em vigor, e capaz de contribuir de forma decisiva para a qualidade do Ensino e da dignidade da Escola Pública.

Os Professores do Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus

Somos apenas mais uma Escola que mostra a quem manda o que pensa sobre este assunto, mas enquanto houver democracia nas Escolas portuguesas, conforme está escrito na Constituição, há que contar com a voz honesta, livre e crítica dos docentes do Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus, instituição à qual me orgulho de pertencer!

17 novembro, 2008

Workshop sobre Astronomia na Nazaré


No âmbito da preparação/divulgação das comemorações do Ano Internacional da Astronomia vai ser realizado, na Nazaré, um workshop sobre Astronomia (só para alunos da Escola EB 2.3 Amadeu Gaudêncio – Nazaré) no dia 26.11.2008, pelas 14.30 horas.

Os formadores são o Fernando Martins - Escola Correia Mateus (O Ano Internacional da Astronomia – breve introdução) e Fernando Cadima - Escola D. Dinis (Pequena viagem pelo Universo a bordo do Stellarium).

Aqui fica o link para o cartaz, em formato MS Word2003 - AQUI.

PS - Esta actividade também está incluída na Semana da Ciência e Tecnologia 2008 da Ciência Viva...

05 novembro, 2008

Congresso para jovens - Estremoz


O Congresso Nacional Cientistas em Acção é promovido pelo Centro Ciência Viva de Estremoz, com o intuito de desenvolver o contacto e a partilha de ideias entre os estudantes do ensino básico e do ensino secundário, no âmbito da cultura científica e tecnológica.


Quem pode participar?
Podem participar neste congresso alunos de todas as escolas (públicas e privadas) do 1.º, 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básico e Secundário. Podem participar individualmente ou em grupo (até quatro elementos).


O que fazer?
Os projectos a elaborar devem estar sempre relacionados com a temática geral do funcionamento do nosso Planeta. No entanto, queremos salientar que ao termos optado pela Terra como tema central, de modo nenhum estamos a restringir os projectos à disciplina de Geologia. Com efeito, o funcionamento do nosso planeta só pode ser compreendido pela conjugação de várias ciências como a Física (e.g. a acção das forças), a Química (e.g. a importância de alguma reacção química), a Informática (e.g. forma de modelar os fenómenos geológicos) ou a Biologia (pois a evolução dos seres vivos não se fez à revelia da evolução do próprio planeta).

Os projectos devem ser acompanhados de um resumo escrito, com um máximo de 2 páginas, contendo os aspectos mais relevantes do projecto (finalidade, materiais e métodos, observações e conclusões) e enviados em formato digital (cd-rom ou e-mail) e ser remetidos até dia 27 de Março de 2009.

Na fase final do Congresso, terá lugar um encontro onde todos os projectos serão apresentados, sob a forma de actividade experimental, painel ou maqueta, acompanhados de breve exposição oral (aproximadamente 15 minutos).


Quando decorre o encontro?
O Encontro decorre no Centro Ciência Viva de Estremoz, Espaço Ciência - Convento das Maltezas, Estremoz, nos dias 23, 24 e 25 de Abril de 2009.


Prémios *
Serão premiados os melhores trabalhos por 3 níveis de ensino:
- Prémio Galopim de Carvalho, (1.º e 2.º Ciclo do Ensino Básico);
- Prémio Dolomieu, (3.º Ciclo do Ensino Básico)
- Prémio António Ribeiro, (Ensino Secundário)
(*) – A lista de prémios a atribuir será divulgada oportunamente.


Critérios de Avaliação
A avaliação dos trabalhos terá em conta os seguintes critérios:
  • Conteúdo Científico
  • Originalidade
  • Apresentação



Contacto:
CENTRO CIÊNCIA VIVA DE ESTREMOZ
ESPAÇO CIÊNCIA - Convento das Maltezas, Estremoz
7100-513 Estremoz
Tel/Fax: 268 334 285
Email: congressocientistas@estremoz.cienciaviva.pt


Se é professor incentive os seus alunos e participe com eles


Se és aluno faz um projecto e participa

04 novembro, 2008

NGC7635 Bubble Nebula

O objecto de céu profundo NGC7635, também conhecido como Bubble Nebula, ou Nebulosa da Bolha, está localizada na constelação de Cassiopeia e junto ao M52 (que também se vê na zona inferior esquerda da imagem). É uma nebulosa de emissão de H II e a bolha é criada pelo vento solar de uma estrela jovem, central e muito quente, de magnitude 8,7. A nebulosa está junto a uma nuvem molecular que contém a expansão da nebulosa da bolha propriamente dita, enquanto é excitada pela estrela central, que provoca o seu brilho.

Fotografada em Leiria, em Outubro de 2008 com uma ST2000XM e WO80FD.


(c) João Cruz/08

02 novembro, 2008

Notícias de Saturno

Publicamos aqui mais um notável post do Blog De Rerum Natura, da Doutora Palmira F. da Silva:




Ontem a sonda Cassini começou a enviar dados de uma nova missão a Encelado, uma das luas mais interiores de Saturno. A lua de diâmetro 500 Km tem o albedo mais alto de qualquer corpo do sistema solar reflectindo quase toda a radiação incidente pelo que antes das missões da Cassini se pensava que a sua temperatura de superfície fosse por volta de -200 °C. Numa destas missões, a sonda mergulhou através de uma das plumas de gelo no Pólo Sul da pequena lua para recolher dados das partículas constituintes. De facto, uma das características mais intrigantes de Encelado é o criovulcanismo que ejecta jactos e plumas gelados que se pensa terem origem em bolsas de água líquida próximas da superfície. Apenas uma pequena parte destes jactos consegue fugir à gravidade de Encelado engrossando o anel E, um dos quatro na órbita de Saturno que não são visíveis da Terra. As restantes partículas são devolvidas a Encelado sendo as responsáveis pelo brilho do pólo sul desta lua.

A nova missão pretende fotografar o misterioso Pólo Sul da lua e recolher dados de temperatura que ajudem a desvendar os seus segredos, nomeadamente ajudem a explicar como a pequena lua consegue disparar estes jactos de gelo no espaço e se existe de facto água líquida debaixo da superfície.

As missões anteriores, nomeadamente as de Março e Agosto deste ano, tinham fornecido dados discordantes e a missão actual pretende esclarecer se esta discrepância é intrínseca ou se os dados menos precisos de Março são também menos exactos. No entanto, ambas as missões indicam temperaturas próximas de -100 ºC o que confirma que Encelado é aquecido por um mecanismo interno, quiçá o mesmo mecanismo de marés que aquece Io, a lua de Júpiter.

Os nossos leitores interessados em saber as surpresas que Encelado reserva podem seguir a missão no blog da equipa Cassini Enceladus ou apreciar as fotos incríveis disponíveis na Big Picture.