29 abril, 2010

Gadjet astronómico divertido



AstroStar - As estrelas em sua casa
The magic of starlight indoors

Hoje em dia, devido à poluição que podemos verificar nas nossas cidades diariamente, quer de índole atmosférica quer de iluminação, muitos de nós perdemos a beleza e genialidade das estrelas a piscarem nos céus. Para tentarmos ter um pouco dessa recriação em nossas casas, apresentamos o AstroStar.

O AstroStar vai de certeza trazer um pouco de brilho celestial para dentro da sua casa!

Com este projector vai conseguir transmitir no tecto da sua casa ou nas paredes, um mapa dos céus com todo o brilho e espectacularidade.

Composto por uma base rotativa com um alinhamento em “compass-point”, é possível ajustar o seu AstroStar de acordo com a sua localização e época do ano, para que projecte exactamente um mapa de uma noite estrelada em seu redor.

Uma possibilidade fascinante, e igualmente realizável, é poder combiná-lo de forma a que possa de modo exacto, correr a sequência do movimento dos céus ao longo do ano.

Em suma, o AstroStar é ideal para os amantes da astronomia, para os mais novos, ou qualquer pessoa que queira desfrutar das estrelas no conforto do seu lar! Ainda poderemos dar como exemplo a sua implementação em bares, para criação de ambientes acolhedores!


Alimentação: 2 pilhas tipo "AA".

Nota: O Astrostar é vendido em kit pelo que é necessário montagem.

As instruções encontram-se em Inglês.

Preço: 69.90 euros AQUI

26 abril, 2010

Astrofesta em Regueira de Pontes - fotos

Foi uma festa fantástica - a apresentação do livro "O Mistério da Estrelinha Curiosa", pela autora, a Leonor Lourenço (que é Educadora no Jardim de Infância de Regueira de Pontes, local da actividade), o convívio, com comida partilhada, o espaço interior e exterior do Jardim, a vontade de ver e aprender de graúdos e miúdos, a vinda de gente de muito longe, tudo valeu a pena (apesar do cansaço de uma longa semana de trabalho).

Os nossos agradecimentos às Educadoras Leonor Lourenço e Celeste Portela, ao João Cruz (Professor da ESEL e excelente astrofotógrafo), às estagiárias do Jardim, à família Vicente (que trouxe um excelente telescópio), às restantes famílias, aos meninos e meninas, que se portaram tão bem e a S. Pedro, pela fantástica noite...!

Estavam para aparecer o Paulo Simões e Fernando Cadima, mas o seu trabalho de Escola impediu-os de estarem fisicamente desta vez...

E agora as fotos enviadas pela Leonor:

24 abril, 2010

20.º Aniversário do lançamento do Telescópio Hubble pela NASA


Hoje o Google Doodle do dia mostra-nos uma imagem que remete para o lançamento, há 20 anos do HST (Hubble Space Telescope ou Telescópio Espacial Hubble - TEH - em português).

Clicando na figura central o buscador leva-nos para links de páginas sobre o Huble, mas clicando fora acedemos ao Google Sky e ver as estrelas a partir de determinados pontos da Terra.

Com a nova função, os usuários podem usar o Google para observar maravilhas astronómicas como a Nebulosa do Caranguejo (Crab Nebula), os restos em expansão de uma supernova que fica a 6,3 mil anos-luz da Terra.

Marcas nas fotos das estrelas condizem-nos a textos explicativos da Wikipedia. Sobreposições mostram constelações inteiras, ilustram as fases da Lua e mostram como os planetas visíveis da Terra orbitam ao longo de dois meses.

O acervo de imagens cobre 100 milhões de estrelas e 200 milhões de galáxias, segundo o Google. Embora muitas das imagens já estejam disponíveis on-line, o Google quer torná-las mais acessíveis pelo Google Earth, até então focado em imagens de satélite da Terra.

“Aproxime-se de galáxias a milhões de anos-luz de distância, explore constelações, veja os planetas em movimento, testemunhe supernovas; é como ter uma telescópio virtual gigante sob o seu comando - seu planetário pessoal”, escreveu Lior Ron, gerente de produtos do Google, no blog da equipa do Google Earth e Google Maps.

O Google Sky usa imagens em alta resolução de diversos observatórios espaciais, incluindo o Space Telescope Science Institute, o Sloan Digital Sky Survey, o Digital Sky Survey Consortium, o Palomar Observatory (da CalTech), o Astronomy Technology Center, no Reino Unido, o Anglo-Australian Observatory, além do Telescópio Espacial Hubble, da NASA.

22 abril, 2010

Hoje é dia Mundial da Terra!


Imagem do blogue de astronomia português Astro.pt . Na Feira do Livro de Coimbra, na Praça da República, há uma tertúlia sobre "Como era a vida na Terra" com Octávio Mateus, Vanda Ramos, Pedro Callapez e Eugénia Cunha, moderada por Carlos Fiolhais.

20 abril, 2010

Observação em Regueira de Pontes - mapas


UMA NOITE DIFERENTE, UMA NOITE MÁGICA

No seguimento do Projecto Re (construir) olhares… vivendo Emoções" (Jardim-de- Infância de Regueira de Pontes), convidam-se todas as pessoas interessadas para um olhar diferente sobre o Universo:
  • Narração da história O MISTÉRIO DA ESTRELINHA CURIOSA pela autora, Leonor Lourenço;
  • Observação astronómica, com telescópio, da LUA, VÉNUS, MARTE, SATURNO e outros astros sob orientação de astrónomos amadores de Leiria (Fernando Martins, Paulo Simões, Fernando Cadima e outros).

Data: Noite de 23/04/2010 (6ª para sábado);

Horário: 20.30 – 23.00 horas;

Local: Jardim de Infância de Regueira de Pontes.

Localização do Jardim de Infância de Regueira de Pontes - clicar para aumentar

Não esquecer de trazer:
  • Comida/bebidas para partilhar;
  • Mapas celestes ou livros;
  • Telescópio ou binóculos;
  • Amigos ou familiares;
  • Vontade de aprender e dúvidas.


LINKS

Nota - Caso o tempo não esteja favorável à observação astronómica, será projectado uma apresentação multimédia.


ORGANIZAÇÃO
  • Núcleo de Astronomia Galileu Galilei do Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus
  • Clube de Astronomia da Escola D. Dinis
  • Blog AstroLeiria - http://astroleiria.blogspot.com/
  • Educadoras Leonor Lourenço e Celeste Portela (Jardim de Infância de Regueira de Pontes)

NOTA: aqui fica um mapa interactivo da GoogleMaps, com início de percurso no cruzamento da Estrada da Figueira (Nacional 109) com a Estrada Nacional 1 e terminus no Jardim de Infância de Regueira de Pontes:


View Larger Map

15 abril, 2010

Observação Astronómica em Regueira de Pontes - 23.04.2010


UMA NOITE DIFERENTE, UMA NOITE MÁGICA

No seguimento do Projecto “Re (construir) olhares… vivendo Emoções” convidam-se todas as pessoas interessadas para um olhar diferente sobre o Universo:
  • Narração da história O MISTÉRIO DA ESTRELINHA CURIOSA pela autora, Leonor Lourenço;
  • Observação astronómica, com telescópio, da LUA, VÉNUS, MARTE, SATURNO e outros astros sob orientação de astrónomos amadores de Leiria.

Data: Noite de 23/04/2010 (6ª para sábado);

Horário: 20.45 – 23.00 horas;

Local: Jardim de Infância de Regueira de Pontes.


Não esquecer de trazer:
  • Comida/bebidas para partilhar;
  • Mapas celestes ou livros;
  • Telescópio ou binóculos;
  • Amigos ou familiares;
  • Vontade de aprender e dúvidas.


LINKS

Nota - Caso o tempo não esteja favorável à observação astronómica, será projectado uma apresentação multimédia.


ORGANIZAÇÃO
  • Núcleo de Astronomia Galileu Galilei do Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus
  • Blog AstroLeiria - http://astroleiria.blogspot.com/
  • Educadoras do Jardim de Infância de Regueira de Pontes

Como fazer blogues, sites e partilhar documentos com ferramentas Google


Vou fazer uma Acção de Formação não creditada, para docentes (e não só…) intitulada Como fazer Blogues, Sites e partilhar documentos com ferramentas Google.

Local: Escola Correia Mateus - Leiria.

Data: 21.04.2010 (4ª).

Horário: 14.30 – 17.00 horas.

Destinatários: Professores (prioridade para docentes do Departamento de Matemática e Ciências Exactas, do Grupo de Geografia), membros do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus. Está ainda aberta a outros docentes da mesma Escola ou de outras Escolas, até um limite de 15 pessoas e a leitores deste Blog (sendo necessário, para participar, ter conhecimentos mínimos de Internet e e-mail do GMAIL activo e funcional).

Actividades: Workshop para professores de aprofundamento de conhecimentos sobre a utilização em contexto escolar de Grupos de Trabalho Google, criação de sites e de Blogues, com especial ênfase na sua aplicação em divulgação científica e trabalho cooperativo, no uso com turmas ou outros.

Formador: Fernando João Fernandes Oliveira Martins.

Organização: Departamento de Matemática e Ciências Exactas e Blog Geopedrados.

Inscrições: por e-mail (fernando.oliveira.martins@gmail.com) ou Fax (244 845 019), indicando Nome, Grupo Disciplinar, e-mail e Escola onde lecciona.


Aqui ficam dois documentos de apoio:

14 abril, 2010

O direito à revolta é uma coisa sagrada

As teses 'pedagogistas' da ministra da Educação
por LUÍS REIS TORGA - Historiador

Por vezes as insónias pregam-nos partidas… Levantei-me, cerca das três horas da madrugada, e fui ver televisão. Costuma ser o melhor soporífero. Sucede, porém, que sintonizei a RTPN e deparei-me com a retransmissão do debate sobre Educação na respectiva Comissão da Assembleia da República. Vi e ouvi com atenção e perdi completamente o sono. Por isso é ainda sob o efeito de uma noite mal dormida que escrevo estas palavras.

Na altura em que olhei para o televisor, a senhora ministra dissertava sobre as virtudes psicopedagógicas e sociais da passagem de ano pelos alunos do ensino obrigatório, opondo-se, em princípio, à sua "retenção" (a "reprovação" de que se falava, porventura mal, no nosso tempo). Para tal serviu-se, entre outros argumentos, dos exemplos da Dinamarca, da Finlândia (claro!), dos EUA…, ou seja, dos sistemas dos "países exemplares", como dizia ironicamente em 1930 Ortega y Gasset, referindo-se dessa vez às políticas universitárias. Nesses países - dizia - nem se conhece a palavra "retenção"! E, como também é hábito, falou da crítica pelos peritos da OCDE ao sistema educativo português pelo facto de haver, por isso, um significativo insucesso escolar.

Como é evidente, nenhum professor deseja que um aluno fique "retido". Por outro lado, é evidente que as várias hipóteses alternativas que se põem aos docentes e às escolas, para lidar com casos difíceis, não dão, nem podem dar, o resultado desejado. A senhora ministra foi-se referindo, folheando papéis, às medidas escritas nos regulamentos, nomeadamente no Estatuto do Aluno: currículos alternativos, provas de avaliação para alunos com excesso de faltas não justificadas, serviço comunitário, uso das bibliotecas escolares, ingresso nos CEF (cursos de educação e formação), Novas Oportunidades… Essas alternativas, como se dizia, nem sempre resolvem os problemas de aproveitamento (que o espírito das leis torna quase obrigatório), devido à ausência de estruturas nas escolas - turmas grandes, falta de técnicos auxiliares de educação e de equipas especializadas… - mas, sobretudo, devido aos problemas sociais de alguns alunos, despejados nas escolas pelos encarregados de educação, que raramente respondem às suas responsabilidades. Desta forma - como disseram alguns deputados no debate - a "não retenção" por que se bate a senhora ministra significa apenas… passagem administrativa.

Fui professor universitário durante 38 anos e professor liceal (como então se dizia) cerca de cinco, e sempre me pautei pela norma de tratar os alunos com amizade, mas com exigência. Aliás, os professores que, como aluno, guardo na memória são aqueles que sabiam e exigiam, por vezes até com alguma intransigência, e não vejo razão para que essa imagem não possa ainda ser válida, apesar de as condições da escola se terem modificado. Formei-me na prática pedagógica (mais do que na teoria) e na vocação que sentia, a qual me levou à leitura do Diário, de Sebastião da Gama, cujo idealismo bebi, ainda era estudante. Por isso, entendo que só através do ensino eficiente das matérias científicas (o Português, a Matemática, a História, a Física…), através de formas pedagógicas racionalmente aplicadas, e com o objectivo de integração cívica, se pode formar os estudantes. Sem exageros de tipo psicopedagógico e didáctico, que hoje se chamam "modernos", mas que correspondem a anseios antigos e que, pelo seu excesso, se poderão tornar ultrapassados. É evidente que este desejo de que o ensino se centre nas matérias a leccionar - que hoje parece ser lateral à educação, em especial no ensino obrigatório - não põe de parte um ensino profissional, que deveria ser uma orientação ainda precoce e fundamental em certos casos.

Não tenho da pedagogia a noção de "uma simples e vã retórica", embora possa compreender o desânimo dos professores, como, para falar de um caso extramuros (para que não se diga ser a situação apenas portuguesa), do filósofo e professor Juan Antonio Rodríguez Tous, que, numa entrevista a El Mundo (20.7.2009), se queixava da existência na escola de "duas frentes de batalha" contraditórias, ou seja, os alunos que se deveria instruir e a "quinta coluna pedagógica" que - numa espécie de mobbing laboral - só fala do "modo de ensinar" e que "intoxica o professor com burocracia", ao mesmo tempo que pouco se interessa pelas temáticas do ensino. Não tenho, pois, das verdadeiras Ciências da Educação uma visão negativa. Porém, infelizmente, confunde-se Pedagogia, assim como Didáctica e Psicologia Educacional, com "pedagogite" ou com o "eduquês", que se tornou um substantivo comum desde que Nuno Crato o introduziu no vocabulário. Desta forma, estamos a destruir o sistema de ensino e não a reformá-lo, como notou em França o matemático Laurent Laforgue, que denunciou o facto de o sistema educativo do seu país estar em vias de destruição, porque deixou de se valorizar os conhecimentos, mas finalidades pragmáticas de organização da sociedade segundo lógicas de mercado.

Na verdade, há muito que ele está em destruição, razão do abandono precoce da profissão de muitos e experientes professores. O "processo de Bolonha" veio completar, para o ensino superior, essa acção do camartelo "pedagogista". No caso do ensino obrigatório, debaixo de um aparente optimismo, a não "retenção" justifica-se, no fundo, não pela intenção de formar melhor mas pelas estatísticas e porque é preciso ter os alunos menos anos na escola, cujo percurso se torna cada vez mais longo, à medida que aumentam os anos da escolaridade obrigatória (agora 12), o que custa dinheiro. No ensino superior, ao invés, é conveniente que eles se mantenham mais tempo para atrasar o acesso ao emprego (para que as estatísticas do desemprego não subam ainda mais). A licenciatura tornou-se um mero ciclo de passagem, com uma formação deficiente, e pouco vale como ciclo autónomo. Os mestrados - antes só frequentados por alunos de quali- dade e agora abertos a todos - também necessariamente tiveram de se desvalorizar em termos de formação. E o mesmo está a suceder com os doutoramentos, alguns adquiridos simplesmente com a publicação de dois artigos em "revistas indexadas" (por agências privadas) ou por dissertações que não valem uma medíocre tese de licenciatura do meu tempo.

Claro que os "pedagogistas", os burocratas e a senhora ministra - com a bênção da UE e da OCDE (leia-se: Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) - dirão que estou a depreciar a Educação. Ao invés, dir-lhes--ei que estou a lutar por ela, no seu sentido idealista e não economicista e neoliberal, e pela Cultura, que passa por uma profunda crise de identidade. A prova disso é que raramente o espírito crítico se levanta contra a situação existente. O que apenas se verifica é o "seguidismo", ou o debate em circuito fechado ou em circuito demasiado aberto (no espectáculo quase sempre demagógico da TV), ou a afirmação de revolta, mas só em momentos mais trágicos.

Já que estamos no Centenário da República, lembro as palavras de António José de Almeida: "O direito à revolta é uma coisa sagrada." É este apenas o sentido destas palavras de um velho professor.

P.S. Talvez fosse pelas condições em que presenciei o debate, mas não sei se ouvi a ministra da Educação do Governo do engenheiro Sócrates ou Isabel Alçada, professora, co-autora de livros para jovens, com um mestrado em Educação por Boston e responsável pelo interessante, mas não inédito, Plano Nacional de Leitura. Alguém me pode esclarecer?

13 abril, 2010

Livro de fotografia - lançamento em Leiria


O CEPAE (Centro de Património da Estremadura) e os Autores têm o prazer de convidar V.ª Ex.ª a estar presente na sessão de lançamento da Antologia de fotógrafos do distrito de Leiria SENSIBILIDADES 25, que reúne trabalho fotográfico inédito de 25 fotógrafos da região de Leiria.

A sessão terá lugar no dia 17 de Abril de 2010 pelas 16.00 horas, no Ateneu de Leiria (à Praça Rodrigues Lobo), em Leiria.

A apresentação da obra será feita por Alfredo Cunha.


CEPAE
Centro de Património da Estremadura
Praça Mouzinho de Albuquerque
Edifício Mouzinho de Albuquerque
2.º andar, Sala 1, Apartado 188
2440 - 901 BATALHA

http://www.cepae.pt

e-mail: cepae@sapo.pt

Telf./ Fax: 244 766 199

12 abril, 2010

Yuri's Night




Do Blog De Rerum Natura publicamos o seguinte post, escrito pela Doutora Palmira F. da Silva:

Hoje, pela mão da Rádio Zero e do Técnico, Portugal junta-se pela primeira vez às celebrações mundiais da Yuri's Night, uma acção que teve início em 2001, com vista a celebrar o épico voo de Yuri Gagarine, o primeiro humano no espaço, em 1961, assim como o primeiro voo do Space Shutle, 20 anos depois.

A partir do bar da Associação de Estudantes, no Instituto Superior Técnico, irá decorrer uma emissão espacial, que reúne música, programas documentário e conversas com convidados especiais sobre o passado, o presente e o futuro da Humanidade no Espaço.

Momentos musicais por Jan Turkenburg (NL), João Ricardo (BR), Luís Antero (PT), Pedro Lopes & Mush Von Namek (PT), Pedro Lopes & Manuela São Simão (PT).

Irá ainda decorrer pelas 16 horas uma conversa sobre o espaço que contará com a participação de Mário Lino, Orfeu Bertolami, Paulo Gil e Alexandre Martins do IST e pelas 18 horas um debate acerca do futuro dos engenharias Aeroespaciais com os membros da APAE (Associação Portuguesa de Aeronáutica e Espaço).

Pelas 22h30 Orphelia e os Cosmonautas fazem as honras da casa num grande concerto, uma peça especialmente composta para celebrar a fantástica aventura da Humanidade no Espaço.

Hoje celebramos a conquista do Espaço

Yuri Alieksieievitch Gagarin (em russo: Ю́рий Алексе́евич Гага́рин, Klushino, 9 de Março de 1934Kirjatch, 27 de Março de 1968) foi um cosmonauta soviético e o primeiro homem a viajar pelo espaço, em 12 de Abril de 1961, a bordo da Vostok I, uma nave que pesava 4725 quilos.

in Wikipédia


STS-1 was the first orbital flight of the Space Shuttle, launched on 12 April 1981, and returning to Earth 14 April. Space Shuttle Columbia orbited the earth 37 times in this 54.5-hour mission. It was the first US manned orbital space flight since the Apollo-Soyuz Test Project on 15 July 1975. STS-1 was one of the few manned maiden test flights of a new spacecraft system, although it was the culmination of atmospheric testing for the Space Shuttle program.

09 abril, 2010

The end is (almost) near...

Asteróide de 22 metros passa esta madrugada perto da Terra
«2010-GA6» aproxima-se a uma distância de 350 mil quilómetros, 9/10 da distância da Terra à Lua

Órbita do asteróide (Cortesia: NASA)

O asteróide de 22 metros, recentemente descoberto, o «2010-GA6», sobrevoará hoje a órbita lunar e passará “muito próximo da Terra”, segundo informou a NASA.

Assim, de quinta para sexta-feira, por volta da uma hora e seis minutos da madrugada o asteróide vai aproximar-se a uma distância de 350 mil quilómetros, ou seja, nove décimos da separação entre a Terra e a Lua.


“Os sobrevoos de objectos próximos da Terra, inclusive da órbita lunar, acontecem todas as semanas”, explicou um perito do laboratório da NASA, Don Yeomans.

O «2010-GA6» tem 22 metros de comprimento e foi descoberto pelo telescópio Catalina Sky Survey, da Universidade de Tucson, no Arizona, Estados Unidos.

A NASA, com os telescópios instalados, detecta e segue o rastro dos asteróides e cometas que passam próximos da Terra. O programa de «Observação de Objectos próximos da Terra», da agência espacial norte-americana, mais conhecido como o ‘vigilante do espaço’, é o responsável por coordenar a descoberta destes objectos e determinar se são perigosos ou não para o planeta.