30 novembro, 2011

Há 56 anos a queda do meteorito de Sylacauga feriu uma mulher

 (imagem daqui)

  (imagem daqui)

The Sylacauga meteorite fell on November 30, 1954 at 2:46pm (18:46 U.T.) near the town of Sylacauga, Alabama. Although officially known as the Sylacauga meteorite, it is often referred to as the Hodges meteorite because a fragment of it struck Ann Elizabeth Hodges (1923–1972).
The Sylacauga meteorite is the first documented extraterrestrial object to have injured a human being. The grapefruit-sized fragment crashed through the roof of a frame house in Oak Grove, Alabama, bounced off a large wooden console radio, and hit Hodges while she napped on a couch. The 31-year-old woman was badly bruised on one side of her body but able to walk. The event received worldwide publicity.
The Sylacauga meteorite is not the only extraterrestrial object to have struck a human. In 1992 a very small fragment (3 g) of Mbale meteorite hit a young Ugandan boy, but it had been slowed down by a tree and did not cause any injury.

Fireball
The meteor made a fireball visible from three states as it streaked through the atmosphere, even though it fell early in the afternoon.

Following events
he United States Air Force sent a helicopter to take the meteorite. Eugene Hodges, the husband of the woman who was struck, hired a lawyer to get it back. The Hodges' landlord, Bertie Guy, also claimed it, wanting to sell it to cover the damage to the house. There were offers of up to $5,000 for the meteorite. By the time it was returned to the Hodgeses, over a year later, public attention had diminished and they were unable to find a buyer willing to pay.
Ann Hodges was uncomfortable with the public attention and the stress of the dispute over ownership of the meteorite. Against her husband's wishes, she donated it to the Alabama Museum of Natural History.

Fragments
Upon the entry within the atmosphere the Sylacauga meteorite fragmented in at least 3 pieces:
  1. The Hodges fragment (3.86 kg - 33°11′18.1″N 86°17′40.2″W) struck Ann Elizabeth Hodges.
  2. The McKinney fragment (1.68 kg - 33°13′08.4″N 86°17′20.7″W) was found the next day.
  3. A third fragment is believed to have impacted somewhere near Childersburg (a few km north-west of Oak Grove).
Map of all coordinates from Google

Map of all coordinates from Bing


Classification
The Sylacauga meteorite is classified as an ordinary chondrite of H4 group.

Orbit
The meteoroid came in on the sunward side of the Earth, so when it hit our planet it had passed the perihelion and was travelling outward from the Sun. Considering the orbit estimations, the best candidate as parent body is 1685 Toro.

Nova sonda enviada esta semana vai procurar vida em Marte

NASA lança nova missão esta tarde
Se houve vida em Marte, o robô Curiosity vai querer saber
26.11.2011

Um laser capaz de perfurar rochas é uma das novidades do Curiosity (NASA/REUTERS)

Marte nunca viu nada como o Curiosity, o robô cientista que a NASA lançou às 15.02 horas, numa viagem de 570 milhões de quilómetros. É o aparelho mais sofisticado alguma vez enviado para o planeta vermelho, com a missão de descobrir se alguma vez houve condições para a vida no vizinho da Terra.

“É verdadeiramente um robô excepcional, cuja capacidade ultrapassa largamento tudo já enviámos para outro planeta do sistema solar”, garantiu Colleen Hartman, directora adjunta das missões científicas da NASA. Agosto de 2012 é a data prevista para a sua chegada e será o primeiro aparelho de investigação enviado para Marte com uma missão relacionada com a busca de vida desde o programa Viking, nos anos 1970 – que teve resultados inconclusivos.

Mas, apesar disso, não vai procurar vida directamente. “Tudo o que sabemos sobre a vida e o que torna um ambiente habitável é específico da Terra”, disse a astrobióloga Pamela Conrad, do Laboratório de Propulsão a Jacto da NASA, responsável por esta missão da NASA. “As coisas em Marte terão sido uma função dos ingredientes iniciais que o planeta teve quando se formou, mas também dos processos que o afectaram.”

Por isso, o robô-cientista mais sofisticado que já alguma vez chegou à superfície do planeta de Marte vai procurar indícios indirectos de vida – sinais de que poderão ter existido condições para se desenvolverem seres vivos no quarto planeta a contar do Sol.

As experiências de SAM
Aparentemente, o Curiosity é igual ao Spirit e ao Opportunity, os robôs gémeos que chegaram ao planeta vermelho em 2004 - com uma missão de três meses que setransformou em sete anos de trabalho. Mas no Curiosity, que custou 2500 milhões de dólares (cerca de 1860 milhões de euros) e é a mais cara missão enviada a Marte, tudo é maior e mais ambicioso. Pesa 900 quilos e é do tamanho de um utilitário desportivo - aquilo a que os norte-americanos chamam um SUV.

Usa uma tecnologia superior à dos exploradores anteriores: por exemplo, as duas câmaras montadas no mastro que se ergue acima do corpo do “rover” funcionam como os seus olhos. Obterão imagens stereo de alta resolução e a cores, e sequências vídeo.

Este é o primeiro aparelho enviado para Marte que terá capacidade para perfurar - até cinco centímetros de profundidade - e recolher para análise amostras de pedras e solo. E consegue fazer algo que parece saído de um filme de ficção científica: dispara um laser até sete metros de distância e que é capaz de vaporizar rochas, para para determinar quais as moléculas de que são compostas.

As experiências feitas por um grupo de instrumentos conhecidos pela sigla SAM (a sigla em inglês de Análise de Amostras em Marte), que incluem um cromatógrafo de gás, um espectrómetro de massa e espectrómetro de laser, serão usados para tentar identificar compostos orgânicos - ou seja, moléculas com carbono. Esta será uma parte importante da sua missão.

"Não são sinais directos de vida", disse John Grotzinger, líder da missão. Afinal, encontram-se moléculas orgânicas no espaço interestelar. "Podem existir sem haver vida, mas a vida tal como a conhecemos não pode existir sem elas, por isso a sua presença seria um importante factor para determinar a habitabilidade de Marte", diz um comunicado de imprensa da NASA.

O Curiosity vai por isso procurar moléculas orgânicas e tentar perceber se serão de origem biológica ou não - podem vir em meteoritos, por exemplo -, medindo a relação entre diferentes isótopos de alguns elementos químicos. Isótopos são variantes com diferentes pesos atómicos de um elemento, como o carbono 12 e o carbono 13. Medir estes isótopos pode ajudar a esclarecer o mistério do metano em Marte.

Foram detectadas bolsas de metano em torno do equador, e este gás tem uma vida curta na atmosfera (cerca de um ano). Para ter uma presença duradoura, precisa de se ir renovando - e a sua origem é um mistério, embora a quantidade na atmosfera seja reduzida (10 partes por mil milhões, muito pouco se compararmos com as 1800 partes por mil milhões da Terra).

Vulcões activos não se conhecem. Fontes biológicas - vacas com aerofagia em Marte, bactérias que expelem metano? - também não. Mas as possibilidades, sejam elas geológicas ou biológicas, excitam os cientistas. Uma forma de começar a resolver o mistério será estudar a proporção de carbono 12 e carbono 13 em Marte, pois pelo menos na Terra os organismos que metabolizam metano preferem a forma mais leve de carbono. O Curiosity vai equipado para o estudar.

29 novembro, 2011

Doppler nasceu há 208 anos

Johann Christian Andreas Doppler (Salzburgo, 29 de novembro de 1803 - Veneza, 17 de março de 1853) foi um físico austríaco.
Notabilizou-se por descrever as alterações nas frequências das ondas sonoras, conforme a aproximação ou afastamento da fonte com relação ao observador, o denominado efeito Doppler.
Johann Doppler, segundo filho de um pedreiro, fez os seus estudos primários em Salzburgo, sua cidade natal, os secundários em Linz e mais tarde, em 1825, formou-se em matemática na Universidade Técnica de Viena. Depois de ter passado novamente por Salzburgo, voltou a Viena, onde estudou matemática, mecânica e astronomia. Foi director do Instituto de Física e professor de Física Experimental na Universidade de Viena.
Em 1842, editou a obra Sobre as Cores da Luz Emitida pelas Estrelas Duplas (Über das farbige Licht der Doppelsterne), onde descreve o efeito Doppler.
Em 1850 foi nomeado diretor do Instituto de Física Experimental da Universidade de Viena mas sua sempre frágil saúde começou a deteriorar-se. Pouco depois, à idade de 49 anos, faleceu de uma doença pulmonar enquanto tentava recuperar-se na cidade de Veneza.

27 novembro, 2011

Semana da Ciência e da Tecnologia 2011 - Tertúlia on-line (XI)


Terminamos, com a poesia que inicia o primeiro livro de poesia de António Gedeão, a Semana da Ciência e da Tecnologia 2011. Uma semana de muito trabalho: esta Tertúlia, em que participaram 13 Blogues, uma formação em TIC (com cerca de uma dúzia de professores), uma observação astronómica, com apresentação pelos autores de três livros, apresentações multimédia, visita a uma exposição de trabalhos de alunos e de livros de Astronomia na Biblioteca Escolar da minha Escola (que inclui jantar partilhado...) e uma actividade para alunos sobre software astronómico para os alunos do clube de Astronomia da minha Escola, isto para além das aulas, dos testes, do trabalho em casa e de milhentas outras coisas. Mas, como dizia um poeta que morreu no último dia deste mês, há setenta e seis anos, tudo vale a pena se a alma não é pequena...

(imagem daqui)

Homem


Inútil definir este animal aflito.
nem palavras,
nem cinzéis,
nem acordes,
nem pincéis.
são gargantas deste grito.
Universo em expansão.
Pincelada de zarcão
desde mais infinito a menos infinito.


in Movimento Perpétuo (1956) - António Gedeão

Workshop de Astrofotografia e Paisagem Nocturna nos Açores


Os Amigos dos Açores - Associação Ecológica, através do seu Grupo de Fotografia de Natureza, promovem no próximo dia 2 de Dezembro uma Tertúlia intitulada "À conversa com Miguel Claro”, que terá lugar no Centro Cívico e Cultural de Santa Clara pelas 21 horas.

Aproveitando a presença deste fotógrafo de renome internacional, realizar-se-á também um Workshop de Astrofotografia e Paisagem Nocturna nos dias 3 e 4 de Dezembro.

Todos os sócios interessados em frequentar o Workshop deverão inscrever-se até ao dia 23 de Novembro através do e-mail amigosdosacores@amigosdosacores.pt, devendo efectuar um depósito de 50 euros (pagamento por transferência bancária), se seleccionado, sendo que este depósito funciona como garantia e será devolvido após a frequência, na totalidade, do Workshop. Mais se informa que as vagas são limitadas a 15 associados.

No caso de não haver sócios inscritos em número suficiente no workshop, as restantes vagas serão disponibilizadas ao público em geral, custando cada inscrição 100 euros.

Requisitos: Os participantes no Workshop devem dispor de uma câmara fotográfica digital (Reflex ou não), essencialmente que permita o controlo manual da exposição, ISO e da temperatura de cor, tripé e cabo disparador.



Sobre o Fotógrafo - Miguel Claro

Como astrónomo amador e astrofotógrafo, tem vindo ao longo dos anos a especializar-se na fotografia de paisagens astronómicas “Skyscapes”, um conceito relativamente novo e que visa a união entre os elementos Céu e Terra, valorizando o património arquitectónico, cultural e paisagístico e abordando de forma educativa e científica, o Universo, que está repleto de astros, mas que nos dias que correm passa despercebido à maioria das pessoas.

É o autor do site Astroarte http://miguelclaro.com/, onde partilha desde 2002 todo o trabalho astrofotográfico que tem vindo a desenvolver nesta área. Diversas imagens da sua autoria têm sido publicadas em livros e nas mais prestigiadas revistas estrangeiras da especialidade, como é o caso das americanas: Astronomy e Sky and Telescope, britânicas: Astronomy Now, BBC Sky at Night, Pratical Astronomer, francesas: Ciel et Espace e Astronomie e ainda da revista espanhola: Astronomìa. Dezenas de imagens têm vindo a ser distinguidas como Picture of the Day em websites internacionais como o EPOD - Earth Science Picture of the Day, LPOD - Lunar Photo of the Day, Astronomy.com, Spaceweather e na própria NASA, como Astronomy Picture of the Day.

Algumas destas imagens foram também publicadas no site da National Geographic. Em 2009, foi o 4º vencedor do concurso internacional do TWAN - The World at Night, IYA2009 special project. Em 2011, a imagem “Lisbon Sky Lights” obteve o 3º lugar na categoria "Against the Lights", no International Earth and Sky Photo Contest 2011 - Earth and Sky Photo Contest 2011.

26 novembro, 2011

Semana da Ciência e da Tecnologia 2011 - Tertúlia on-line (IX)




Poema de pedra lioz

Álvaro Góis,
Rui Mamede,
filhos de António Brandão,
naturais de Cantanhede,
pedreiros de profissão,
de sombrias cataduras
como bisontes lendários,
modelam ternas figuras
na brutidão dos calcários.

Ali, no esconso recanto,
só o túmulo, e mais nada,
suspenso no roxo pranto
de uma fresta geminada.
Mas no silêncio da nave,
como um cinzel que batuca,
soa sempre um truca…truca…
lento, pausado, suave,
truca, truca, truca, truca,
sob a abóbada romântica,
como um cinzel que batuca
numa insistência satânica:
truca, truca, truca, truca,
truca, truca, truca, truca.

Álvaro Góis,
Rui Mamede,
filhos de António Brandão,
naturais de Cantanhede,
ambos vivos ali estão,
truca, truca, truca, truca,
vestidos de surrobeco
e acocorados no chão,
truca, truca, truca, truca.
No friso, largo de um palmo,
que dá volta a toda a arca,
um Cristo, de gesto calmo,
assiste ao chegar da barca.
Homens de vária feição,
barrigudos e contentes,
mostram, no riso dos dentes,
o gozo da salvação.
Anjinhos de longas vestes,
e cabelo aos caracóis,
tocam pífaros celestes,
entre cometas e sóis.
Mulheres e homens, sem paz,
esgazeados de remorsos,
desistem de fazer esforços,
entregam-se a Satanás.

Fixando a pedra, mirando-a,
quanto mais o olhar se educa,
mais se entende o truca…truca…
que enche a nave, transbordando-a,
truca, truca, truca, truca,
truca, truca, truca, truca.

No desmedido caixão,
grande senhor ali jaz.
Pupilo de Satanás?
Alma pura de eleição?
Dom Afonso ou Dom João?
Para o caso tanto faz.

in
Teatro do Mundo (1958) - António Gedeão

Semana da Ciência e da Tecnologia 2011 - Tertúlia on-line (VIII)


Poema da Auto-estrada

Voando vai para a praia
Leonor na estrada preta.
Vai na brasa, de lambreta.

Leva calções de pirata,
vermelho de alizarina,
modelando a coxa fina,
de impaciente nervura.
como guache lustroso,
amarelo de idantreno,
blusinha de terileno
desfraldada na cintura.

Fuge, fuge, Leonoreta:
Vai na brasa, de lambreta.

Agarrada ao companheiro
na volúpia da escapada
pincha no banco traseiro
em cada volta da estrada.
Grita de medo fingido,
que o receio não é com ela,
mas por amor e cautela
abraça-o pela cintura.
Vai ditosa e bem segura.

Com um rasgão na paisagem
corta a lambreta afiada,
engole as bermas da estrada
e a rumorosa folhagem.
Urrando, estremece a terra,
bramir de rinoceronte,
enfia pelo horizonte
como um punhal que se enterra.
Tudo foge à sua volta,
o céu, as nuvens, as casas,
e com os bramidos que solta,
lembra um demónio com asas.

Na confusão dos sentidos
já nem percebe Leonor
se o que lhe chega aos ouvidos
são ecos de amor perdidos
se os rugidos do motor.

Fuge, fuge, Leonoreta
Vai na brasa, de lambreta.

in
Máquina de Fogo (1961) - António Gedeão

NOTA: com o seu habitual humor e ironia, António Gedeão retoma o poema e a personagem de Camões, imprimindo-lhe um modernismo curioso:

Descalça vai para a fonte

Descalça vai para a fonte
Leonor pela verdura;
Vai fermosa, e não segura.

Leva na cabeça o pote,
O testo nas mãos de prata,
Cinta de fina escarlata,
Sainho de chamelote;
Traz a vasquinha de cote,
Mais branca que a neve pura.
Vai fermosa e não segura.

Descobre a touca a garganta,
Cabelos de ouro entrançado
Fita de cor de encarnado,
Tão linda que o mundo espanta.
Chove nela graça tanta,
Que dá graça à fermosura.
Vai fermosa e não segura.

Luís Vaz de Camões

25 novembro, 2011

Semana da Ciência e da Tecnologia 2011 - Tertúlia on-line (VII)



Fala do Homem Nascido

(chega à boca da cena, e diz:)

"Venho da terra assombrada,
do ventre da minha mãe;
não pretendo roubar nada
nem fazer mal a ninguém.
Só quero o que me é devido
por me trazerem aqui,
que eu nem sequer fui ouvido
no acto de que nasci.


Trago boca para comer
e olhos para desejar.
Com licença, quero passar,
tenho pressa de viver.
Com licença! Com licença!
Que a vida é água a correr.
Venho do fundo do tempo;
não tenho tempo a perder.


Minha barca aparelhada
solta o pano rumo ao norte;
meu desejo é passaporte
para a fronteira fechada.
Não há ventos que não prestem
nem marés que não convenham,
nem forças que me molestem,
correntes que me detenham.


Quero eu e a Natureza,
que a Natureza sou eu,
e as forças da Natureza
nunca ninguém as venceu.


Com licença! Com licença!
Que a barca se faz ao mar.
Não há poder que me vença.
Mesmo morto hei de passar.
Com licença! Com licença!
Com rumo à estrela polar."

in
Teatro do Mundo (1958) - António Gedeão

Semana da Ciência e da Tecnologia 2011 - Tertúlia on-line (VI)


Pedra Filosofal

Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer,
como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso
em serenos sobressaltos,
como estes pinheiros altos
que em verde e oiro se agitam,
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul.

Eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma, é fermento,
bichinho álacre e sedento,
de focinho pontiagudo,
que fossa através de tudo
num perpétuo movimento.

Eles não sabem que o sonho
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel,
arco em ogiva, vitral,
pináculo de catedral,
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa-dos-ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é cabo da Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança,
Colombina e Arlequim,
passarola voadora,
pára-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão do átomo, radar,
ultra-som, televisão,
desembarque em foguetão
na superfície lunar.

Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida,
que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança.

in
Movimento Perpétuo (1956) - António Gedeão

Semana da Ciência e da Tecnologia 2011 - Tertúlia on-line (V)


Kátia Guerreiro - Poema da malta das naus


Poema da malta das naus

Lancei ao mar um madeiro,
espetei-lhe um pau e um lençol.
Com palpite marinheiro
medi a altura do sol.

Deu-me o vento de feição,
levou-me ao cabo do mundo.
Pelote de vagabundo,
rebotalho de gibão.

Dormi no dorso das vagas,
pasmei na orla das praias,
arreneguei, roguei pragas,
mordi peloiros e zagaias.

Chamusquei o pêlo hirsuto,
tive o corpo em chagas vivas,
estalaram-me as gengivas,
apodreci de escorbuto.

Com a mão direita benzi-me,
com a direita esganei.
Mil vezes no chão, bati-me,
outras mil me levantei.

Meu riso de dentes podres
ecoou nas sete partidas.
Fundei cidades e vidas,
rompi as arcas e os odres.

Tremi no escuro da selva,
alambique de suores.
Estendi na areia e na relva
mulheres de todas as cores.

Moldei as chaves do mundo
a que outros chamaram seu,
mas quem mergulhou no fundo
Do sonho, esse, fui eu.

O meu sabor é diferente.
Provo-me e saibo-me a sal.
Não se nasce impunemente
nas praias de Portugal.

in
Teatro do Mundo (1958) - António Gedeão

Semana da Ciência e da Tecnologia 2011 - Tertúlia on-line (IV)

(imagem daqui)
O último Alquimista Era uma vez um Cientista com alma de Poeta. Era um Senhor (muito sério) com uma vontade juvenil de escrever. Era um Professor (um Mestre) que era trocista sem saber. Era um Anarquista com regras e vontades... Obrigado, Rómulo, por teres sido outro pai fundador, agora do saber científico que não te merecia, escritor de manuais escolares e livros científicos, que o meu avó e o meu pai e eu (e um dia meu filho) leram. Saciaste a nosso sede de saber e tudo fizeste para combater a ignorância. Mas, acima de tudo, António, é a ti que estamos mais agradecidos. A tua Poesia, clara e científica mas bela e que chegava ao coração, fez mais por nós do que tu podias pensar. A tua Poesia é bela como a Física (e a Química, e a Astronomia, e a Biologia...). Escreveste como um Pintor renascentista pintaria este Mundo. O teu sarcasmo tudo mostrava, singelo e único, sem artifícios. E, sendo quem eras, soubeste partilhar connosco as tuas Letras. Obrigado Rómulo. Obrigado António... Pedro Luna (poema inédito)

24 novembro, 2011

Semana da Ciência e da Tecnologia 2011 - Tertúlia on-line (III)

Dia Nacional da Cultura Científica


Artigo sobre Rómulo de Carvalho saído no "Diário de Aveiro" de uma professora do secundário que está a fazer doutoramento sobre a obra de divulgação de Rómulo:

Hoje é dia 24 de Novembro, Dia Nacional da Cultura Científica, em homenagem a Rómulo de Carvalho: professor, metodólogo, investigador, e autor de manuais escolares, de livros de divulgação científica e de poesia, estes últimos sob o pseudónimo de António Gedeão.

Em 1996, Mariano Gago, o então Ministro da Ciência e da Tecnologia e admirador da obra de Rómulo de Carvalho que completava 90 anos, propôs uma homenagem nacional ao talentoso professor. Mariano Gago já havia prefaciado, em 1992, o livro “A Física no dia-a-dia”, onde dá conta do valor de Rómulo de Carvalho, mas considerou que era oportuna a iniciativa de uma homenagem maior. Na notícia do jornal “Público” de 24 de Novembro de 1996, propôs que aquele dia do ano se tornasse Dia da Cultura Científica. Esse dia devia ser «momento privilegiado, todos os anos, de balanço, de reflexão e de acção sobre o papel do conhecimento no nosso futuro».

Rómulo de Carvalho publicou cerca de cem obras, desde livros sobre a história da ciência aos seus cadernos de divulgação científica, não esquecendo os manuais escolares, ainda na memória de muitos como os “cadernos do Pedrito” (modo carinhoso de referir os seus livros de Ciências da Natureza) ou os compêndios de Física do ensino secundário.

Publicou dois livros de divulgação de ciência em três números da colecção “Biblioteca Cosmos”, dirigida por Bento de Jesus Caraça, que foi um marco da divulgação de ciência nos anos 40. Foi mentor e autor da coleção “Ciência para Gente Nova”, onde publicou oito dos nove livros dessa coleção. Tratam de histórias de ciência ou de desenvolvimentos tecnológicos: o do telefone, da fotografia, dos balões, da eletricidade estática, do átomo, da radioatividade, dos isótopos e da energia nuclear. Alguns desses títulos chegaram à terceira edição. A “História dos Balões”, conheceu mesmo uma quarta edição nos anos 90.

Rómulo de Carvalho procurou dirigir-se em «Física para o Povo», não a uma elite instruída ou interessada em ciência mas a toda a gente. Publicou esse livro «com a intenção de promover a cultura popular», como ele próprio escreve nas suas «Memórias». A reedição, em 1995, saiu com o novo título de “A Física no dia-a-dia” por decisão de Rómulo de Carvalho que escreve «…não me pareceu bem aquela referência ao povo depois do 25 de Abril.».

Um dos vários trabalhos, com o objetivo de promover a ciência e o conhecimento científico e tecnológico, que Rómulo de Carvalho abraçou após a sua aposentação foram os 18 "Cadernos de Iniciação Científica", onde recorreu a uma linguagem atraente no discurso e na imagem. O valor destes cadernos justifica que eles tenham sido reunidos num só volume, em 2004, com a chancela da Relógio D’Água. Nesse volume encontra-se uma abordagem científica de temas basilares da ciência como os constituintes da matéria, a energia, ondas e corpúsculos, magnetismo e eletromagnetismo.

Helena Aires Rodrigues, Professora de Física e Química na Escola Secundária de D. Duarte – Coimbra e Doutoranda em Ensino das Ciências – ramo de Física.

23 novembro, 2011

Semana da Ciência e da Tecnologia 2011 - Tertúlia on-line (II)

Do álbum Cantaremos, de Adriano Correia Oliveira, publicado em 1970, pomos aqui a versão musicada do célebre poema "Lágrima de Preta:"



Lágrima de Preta

Encontrei uma preta
que estava a chorar,
pedi-lhe uma lágrima
para a analisar.

Recolhi a lágrima
com todo o cuidado
num tubo de ensaio
bem esterilizado.

Olhei-a de um lado,
do outro e de frente:
tinha um ar de gota
muito transparente.

Mandei vir os ácidos,
as bases e os sais,
as drogas usadas
em casos que tais.

Ensaiei a frio,
experimentei ao lume,
de todas as vezes
deu-me o que é costume:

Nem sinais de negro,
nem vestígios de ódio.
Água (quase tudo)
e cloreto de sódio.

in
Máquina de fogo (1961) - António Gedeão

22 novembro, 2011

Festa da Astronomia das Escolas de Leiria


Semana da Ciência e da Tecnologia

OBSERVAÇÃO ASTRONÓMICA

Agrupamento de Escolas Correia Mateus

22 de novembro de 2011 (3ª-feira)

18.00 - 22.00 horas

(clicar para aumentar)

Convidam-se todas as pessoas para um olhar diferente sobre o Universo:
  • Observação da Lua e Júpiter;
  • Observação astronómica, com telescópio, da LUA, outros astros e constelações sob orientação de astrónomos amadores;
  • Divulgação de livros O Mistério da Estrelinha Curiosa, de Leonor Lourenço, O Homem que via passar as estrelas, de Luís Mourão e Paulo Simões, e A História de DiabloCity, de Maria João Capitão;
  • Jantar partilhado pelos participantes.


ORGANIZAÇÃO:





  • Grupo de Recrutamento 520 (Biologia e Geologia) do Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus (AEDCM);
  • Carlos Reis, Fernando Martins, João Clérigo e João Cruz (astrónomos amadores);
  • Blog AstroLeiria: http://astroleiria.blogspot.com/
  • Ad Astra (Associação para a Divulgação da Astronomia de Amadores): http://www.ad-astra.pt/

Não esquecer de trazer (quem puder...):
  • Comida/bebidas para partilhar;
  • Mapas celestes ou livros;
  • Telescópio ou binóculos;
  • Amigos ou familiares;
  • Vontade de aprender e dúvidas.

Local da observação (mapa interativo):

Semana da Ciência e da Tecnologia 2011 - algumas actividades em Leiria

Aqui ficam as actividades deste ano do Grupo 520 (Biologia e Geologia de 3º Ciclo) com a colaboração dos Grupos 230 (Ciências e Matemática do 2º Ciclo) e 510 (Físico-Química do 3º Ciclo) do Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus:


Tertúlia on-line de Blogues comemorativa da Semana da Ciência e da Tecnologia 2011
Data Início:
21-11-2011 0:00
Data Fim:
27-11-2011 23:45
Entidade Responsável:
Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus
Tipo de Evento:
Internet
Público Alvo:
Público em Geral
Descrição:
Tertúlia On-Line de comemoração da Semana da Ciência e Tecnologia e do Aniversário do nascimento de Rómulo de Carvalho (nos seguintes Blogues do Blogger: Geopedrados, Ciências Correia Mateus, GeoLeiria, AstroLeiria, XadrezLeiria, Vila Franca das Naves, Escabralhado, 7º A, 7º B, 7º C, 9ºE e 9º F - da Escola Correia Mateus - e outros que venham a aderir) com publicação de poemas, músicas, filmes e textos sobre António Gedeão e Rómulo de Carvalho.
Local:
Internet e Blogosfera
Av. Paulo VI
2414-015 LEIRIA


Email para inscrição:
fernando.oliveira.martins(arroba)gmail.com
Telefone para inscrição:
244845019
Local para inscrição:
Escola Básica Dr. Correia Mateus
Nome de Contacto:
Fernando João Fernandes Oliveira Martins
Telefone:
960081251
URL:
Observações:
Os blogues que queiram celebrar connosco este evento podem mandar-nos e-mail que nós forneceremos o código html dos posts.



Exposição de trabalhos e livros de Astronomia
Data Início:
21-11-2011 9:30
Data Fim:
25-11-2011 16:30
Entidade Responsável:
Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus
Tipo de Evento:
Exposições
Público Alvo:
Público em Geral
Descrição:
Exposição de Trabalhos de alunos de 7º Ano de Astronomia (realizados no âmbito nas disciplinas de Ciências Físico-Químicas e Ciências Naturais) e de livros de temática astronómica na Biblioteca da Escola Correia Mateus.
Local:
Escola Básica Dr. Correia Mateus
Av. Paulo VI
2414-015 LEIRIA
Email para inscrição:
fernando.oliveira.martins(arroba)gmail.com
Telefone para inscrição:
244845019
Local para inscrição:
Escola Básica Dr. Correia Mateus
Nome de Contacto:
Fernando João Fernandes Oliveira Martins
Telefone:
960081251
URL:
Observações:
A actividade decorrerá na Biblioteca da Escola Correia Mateus.



Festa da Astronomia das Escolas de Leiria
Data Início:
22-11-2011 18:15
Data Fim:
22-11-2011 22:00
Entidade Responsável:
Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus
Tipo de Evento:
Passeios Científicos/Observações Astronómicas
Público Alvo:
Público em Geral
Descrição:
Actividade com a realização de ateliês didácticos, apresentações multimédia, divulgação de livros (O Mistério da Estrelinha Curiosa, de Leonor Lourenço, O Homem que via passar as estrelas, de Luís Mourão e Paulo Simões, e A História de DiabloCity, de Maria João Capitão) e observação astronómica.
Local:
Escola Básica Dr. Correia Mateus
Av. Paulo VI
2414-015 LEIRIA
Email para inscrição:
fernando.oliveira.martins(arroba)gmail.com
Telefone para inscrição:
244845019
Local para inscrição:
Escola Básica Dr. Correia Mateus
Nome de Contacto:
Fernando João Fernandes Oliveira Martins
Telefone:
960081251
URL:
Observações:
Se o mau tempo não permitir observações astronómicas estas serão substituídas por visualização de mapas do céu em videoprojetor.



Utilização de software para criação de mapas astronómicos e planificação de observações
Data Início:
23-11-2011 14:15
Data Fim:
23-11-2011 16:00
Entidade Responsável:
Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus
Tipo de Evento:
Palestras/Conferências/Colóquios
Público Alvo:
Jovens (ensino básico e secundário)
Descrição:
Palestra para alunos do Núcleo de Astronomia Galileu Galilei (mas aberta a outras pessoas) sobre os softwares SkyMap Pro 11, Starry Night e Lunar Map, para planificação de observações astronómicas e criação de mapas estelares para uso em observações astronómicas.
Local:
Escola Básica Dr. Correia Mateus
Av. Paulo VI
2414-015 LEIRIA
Email para inscrição:
fernando.oliveira.martins(arroba)gmail.com
Local para inscrição:
E-mail.
Nome de Contacto:
Fernando João Fernandes Oliveira Martins
Telefone:
960081251
URL:
Observações:
A actividade decorrerá na Sala 4 da Escola Correia Mateus.



Fazer e utilizar Blogues e Sites em contexto escolar
Data Início:
23-11-2011 17:00
Data Fim:
23-11-2011 20:00
Entidade Responsável:
Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus
Tipo de Evento:
Oficinas / WorkShops
Público Alvo:
Professores
Descrição:
Workshop/Ação de Formação não-creditada, para docentes, de 3 horas, de aprofundamento de conhecimentos sobre a utilização em contexto escolar de Blogues, com especial ênfase na sua aplicação em divulgação de actividades, no uso com turmas ou escolas e na sua adaptação a uso escolar. No âmbito da actividade cada participante fará um Blogue e um Site (nas plataformas Blogger e Wordpress. Será ainda feita alusão às possibilidades de utilização do Facebook em contexto escolar.
Local:
Jardim Escola João de Deus de Leiria
Avenida Marquês de Pombal
2410-152 LEIRIA
Email para inscrição:
fernando.oliveira.martins(arroba)gmail.com
Telefone para inscrição:
244845019
Local para inscrição:
Escola Básica Dr. Correia Mateus
Nome de Contacto:
Fernando João Fernandes Oliveira Martins
Telefone:
960081251
URL:
Observações:
Sessão prepara para docentes do Jardim Escola João de Deus de Leiria mas aberto a docentes de outras Escolas.