24 agosto, 2010

Ou a Lua encolheu ou...

A Nasa descobriu que o diâmetro da Lua diminuiu 100 metros


Segundo Thomas Watters, do Centro de Estudos Planetários e da Terra do Museu do Ar e Espaço do Smithsonian, ao analisar as imagens proporcionadas pelo orbitador eles descobriram "falhas" na crosta lunar até agora nunca vistas.
Watters explicou que as imagens que se tinha da Lua até agora não permitiam detectar que o satélite se "contraiu cerca de 100 metros" em seu diâmetro em um passado que o cientista considera "recente", embora remeta a 1 bilhão de anos atrás.
Esta descoberta proporciona chaves importantes para estudar a geologia da Lua e a evolução tectônica recente, dizem os pesquisadores.
A Lua se formou em um ambiente caótico de intenso bombardeio por asteróides e meteoritos, há 4,5 bilhões de anos, explica a Nasa.
A Lua se formou em um ambiente caótico de intenso bombardeio por asteróides e meteoritos, há 4,5 bilhões de anos, explica a Nasa.
Estes choques, junto com a desintegração de elementos radioativos, fizeram com que a Lua fosse um corpo quente que posteriormente se esfriou.
"Estes incríveis resultados sublinham a importância de observar globalmente para entender os processos globais", disse John Keller, o subdiretor do projeto de reconhecimento lunar da Nasa no centro de voos espaciais Goddard, em Greenbelt (Maryland).
"Enquanto o projeto está em uma nova fase, com ênfase em medições científicas e nossa habilidade de fazer um inventário dos traços da Lua, será uma poderosa ferramenta para entender a história da Lua e do sistema solar", acrescentou.
O orbitador LRB foi lançado ao espaço em junho do ano passado.

Sem comentários: