04 janeiro, 2009

5 anos de Espírito e Oportunidade em Marte

Spirit e Opportunity
Os dois robôs geólogos da NASA fazem hoje cinco anos a trabalhar em Marte
03.01.2009 - 10h14 Clara Barata

Não se esperava que os robôs durassem mais que três meses em Marte

Faz hoje cinco anos, e não havia unhas para roer que chegassem na NASA. Estava para aterrar o primeiro dos dois robôs geólogos que a agência espacial norte-americana estava a enviar para Marte, o Spirit. Passados 21 dias, devia aterrar o Opportunity. Se algo corresse mal, seria um falhanço duplo.

Mas não, foi um sucesso retumbante, e os dois robôs já levam cinco anos a funcionar na superfície do planeta vermelho - quando as previsões iniciais apontavam para apenas três meses. "Os gémeos já trabalharam 20 vezes mais. É um lucro extraordinário para o investimento feito, uma boa notícia nestes tempos de orçamentos magros", comentou Ed Weiler, administrador adjunto da NASA para a Ciência, citado num comunicado.

Os olhos da Terra estavam postos em Marte nesse dia 3 de Janeiro de 2004. Sobretudo depois do fiasco na noite de Natal de 2003 da Agência Espacial Europeia: a sonda Beagle, que devia ir procurar sinais de vida em Marte, desapareceu sem nunca mais dar sinal. Um estudo publicado agora, em Dezembro, estima que a sonda europeia deve ter ardido ao entrar na atmosfera marciana, devido a um erro nos cálculos dos cientistas.

Mas o Spirit e o Opportunity fizeram esquecer o falhanço da Beagle. Durante estes cinco anos, fizeram descobertas importantes sobre o passado da água em Marte (em estado líquido) e sobre as condições ambientais que o planeta viveu em tempos passados. Sempre a andar muito devagarinho.

Ao todo, os robôs percorreram mais de 21 quilómetros (qualquer erro pode ser fatal, como uma derrapagem que os faça capotar, por exemplo), recolheram mais de 250 mil imagens e 36 mil gigabytes de dados, subiram a uma colina e desceram para dentro de crateras, lutaram para se libertar de areias, enfrentaram os problemas causados pelo desgaste dos materiais de que são feitos - enfim, são pequenos heróis. E a NASA continua a ter planos para eles: pelo menos quatro novas missões. O Spirit é o que está em piores condições, pois os seus painéis solares não são bem limpos da poeira marciana.

in Público - Ler notícia

Sem comentários: