20 dezembro, 2008

Notícia no CM sobre astronáutica

A 400 mil quilómetros - Foi a primeira transmissão televisiva lunar directa
O primeiro Natal à volta da Lua

Lovell, Anders e Borman (em 1968) foram os astronautas escolhidos para esta missão, que serviu para validar muitos dos procedimentos para as missões lunares posteriores

O Natal de 1968, há precisamente 40 anos, tornou realidade o sonho de Júlio Verne: ‘Da Terra à Lua’, a sua obra-prima, onde o autor descreveu, cem anos antes, a viagem do Homem ao nosso satélite natural com pormenores técnicos muito semelhantes aos então utilizados. Na véspera de Natal, um Mundo turbulento (Guerra do Vietname) olhou para os céus para uma visão histórica do nosso Planeta e embora os astronautas Frank Borman, James Lovell e William Anders, os primeiros a abandonar a órbita da Terra, não tenham pousado na Lua, na noite de Natal de 1968 eles foram os primeiros homens a circum-navegá-la.

A missão enviou fotos inéditas do solo lunar e a foto vedeta da missão ‘Earthrise’ (o pôr-da-Terra): sobre o horizonte lunar mostra a Terra pela primeira vez como ela aparece do Espaço, fora da órbita terrestre.

Numa histórica transmissão ao vivo, naquela noite a tripulação leu uma passagem da Bíblia, fechada com um desejo de Bom Natal do comandante Borman: 'Terminamos com uma boa-noite, boa sorte, um Feliz Natal e que Deus abençoe todos vocês, todos vocês na boa Terra.' Momentos partilhados por uma audiência internacional de centenas de milhões. Poucos dos que presenciaram a transmissão televisiva esquecerão essa véspera de Natal da tripulação da ‘Apolo 8’ e as imagens da superfície lunar passando por baixo.

Na manhã do dia 25, depois de 20h00 e vinte órbitas em torno da Lua, Borman ligou novamente os motores do módulo de serviço, dessa vez para o aumento de velocidade necessário para que a nave se livrasse da órbita lunar e iniciasse a viagem de volta à Terra.

A missão não estava inicialmente planeada dado o atraso no desenvolvimento do Módulo Lunar, mas foi escalada à última hora para evitar que os soviéticos fossem os primeiros a levar homens a circum-navegar a Lua. Esta possibilidade era iminente pois já tinham sido bem sucedidos a circum-navegar a Lua em missões Zond não tripuladas, vistas como as precursoras de uma missão orbital tripulada – o que a acontecer teria diminuído muito o impacto psicológico da primeira alunagem. Era o início feliz do capítulo final da história da conquista do Espaço.

ASTRONAUTAS RUSSOS SÃO OS MAIS 'SACRIFICADOS'

Daí para cá alguns astronautas, especialmente russos, têm passado o Natal em órbita terrestre. Tal como aconteceu no ano passado na Estação Espacial Internacional (ISS) – com capacidade para abrigar uma tripulação permanente de três astronautas, substituída a cada seis meses – com o russo Yuri Malenchenko e os norte-americanos Daniel Tani e Peggy Whitson (a comandante da tripulação) também este ano os novos inquilinos daquela estação terão de passar ali o Natal: os norte-americanos Michael Fincke e Sandra Magnus e o russo Yuri Lonchakov. n

CURIOSIDADES

ALTO RISCO

Caso o motor principal falhasse, não existia um de reserva, uma vez que o Módulo Lunar ainda não tinha sido terminado.

URSS DESISTIU

As missões tripuladas soviéticas acabaram por ser atrasadas por problemas no programa espacial da URSS e jamais ocorreram.

MISSÕES APOLO

No total, foram feitas 11 missões tripuladas no projecto Apolo e seis delas pousaram na Lua.

EM SOLO LUNAR

Doze astronautas caminharam no solo lunar e lá fizeram experiências científicas.

CEM ANOS ANTES

Júlio Verne citou no livro ‘Da Terra à Lua’ detalhes técnicos que somente foram criados cem anos depois.

in CM - ler notícia (imagem retirada daqui)

Sem comentários: